Início Destaques Japão G20 concorda que a economia mundial vai se recuperar no segundo semestre...

G20 concorda que a economia mundial vai se recuperar no segundo semestre de 2019

42
0
Aso disse que, apesar da desaceleração no segundo semestre de 2018, a economia mundial deve ganhar força na segunda metade de 2019. Foto: Livedoor

WASHINGTON (REUTERS) – Os chefes das Finanças do Grupo das 20 maiores economias compartilham a visão de que a economia mundial vai crescer no segundo semestre deste ano antes de apresentar um crescimento maior no ano de 2020, disse uma fonte da delegação japonesa nesta quinta-feira.

Mas alguns membros do G20 citaram a guerra tarifária EUA-China, altos níveis de endividamento incorridos pela China e outros países emergentes, e uma saída potencialmente desordenada do Reino Unido da União Europeia como fatores de risco para o crescimento global, disse a fonte a repórteres. primeiro dia de uma reunião de dois dias em Washington.

O ministro das Finanças, Taro Aso, e o presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, lideraram o encontro sob a primeira presidência do grupo no Japão, que culminará em uma cúpula do G20 realizada pelo primeiro-ministro Shinzo Abe no final de junho em Osaka.

Falando a repórteres após a sessão de quinta-feira, Aso disse que, apesar da desaceleração no segundo semestre de 2018, a economia mundial deve ganhar força na segunda metade de 2019.

Aso atribuiu o otimismo de aliviar as condições financeiras globais impulsionadas pela recente decisão do Federal Reserve (Banco Central dos EUA) de pausar seu ciclo de aperto de crédito e uma melhor perspectiva para as negociações comerciais entre Washington e Pequim.

Aso informou seus colegas do G20 sobre o plano do Japão de aumentar o imposto de consumo em 2 pontos percentuais, 10 por cento em outubro, como parte dos esforços para garantir um sistema de segurança social sustentável em meio à rápida envelhecimento da população.

Kuroda se referiu a uma perspectiva econômica global semelhante e expressou esperança de que as conversações entre EUA e China levem a um acordo para acabar com a disputa, que envolveu tarifas diretas sobre as importações de cada um.

“Tais movimentos protecionistas não seriam um plus para os dois lados”, disse ele a repórteres separadamente.

Kuroda apelou para a promoção do livre comércio como um impulsionador do crescimento global, afirmando que o comércio sob as regras da Organização Mundial do Comércio contribuiu significativamente para o crescimento econômico mundial.

“Todos os membros do G20, incluindo os dois países, precisam se esforçar para isso”, disse ele, referindo-se aos Estados Unidos e à China.

Em sua última previsão, divulgada na terça-feira, o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que a economia mundial cresça 3,3 por cento em 2019 – queda de 0,2 ponto percentual em relação à estimativa de janeiro. A taxa de crescimento projetada para 2020 permaneceu inalterada em 3,6%.

Christine Lagarde, diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), disse que a economia global está “em um momento delicado” e que a recuperação esperada para 3,6% “é precária e está sujeita a riscos negativos”, como as tensões comerciais e questões envolvendo o Brexit.

“Precisamos lidar melhor com práticas comerciais injustas e distorções no sistema, inclusive por meio de uma reforma do sistema da OMC”, disse Lagarde em entrevista coletiva. “Precisamos evitar ferimentos auto-infligidos, incluindo tarifas e outras barreiras”.

Na sexta-feira, os ministros das finanças do G20 e os governadores dos bancos centrais discutirão os desequilíbrios globais, o envelhecimento da sociedade, a infraestrutura de qualidade, a sustentabilidade da dívida e a tributação internacional, mas não têm planos de emitir um comunicado pós-reunião, segundo a fonte da delegação japonesa.

Os delegados se reuniram na capital dos EUA para as reuniões da primavera do FMI e do Banco Mundial.

Os grupos G20 envolvem a Argentina, Austrália, Brasil, Grã-Bretanha, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Coréia do Sul, Turquia, Estados Unidos e União Europeia. 

Fonte: https://www.japantimes.co.jp/news/2019/04/12/business/g20-broadly-agrees-world-economy-will-pick-second-half-2019-china-brexit-pose-risks/#.XLLGGuhKg2w.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here