Início Destaques Japão Zen, prática a ser aplicada diariamente para uma vida melhor

Zen, prática a ser aplicada diariamente para uma vida melhor

15
0
Aapesar de todos os avanços modernos, você não pode dizer que nossa geração está mais satisfeita. Foto: Twitter

Para Shunmyo Masuno, sacerdote chefe de Kenkoji, um templo Soto Zen em Yokohama, o Zen é uma ação, não uma filosofia. Como Masuno explica ao The Japan Times, “o Zen está preocupado com gyōjūzaga , quatro comportamentos cardeais: andar, ficar de pé, sentado, deitado. É difícil descobrir a essência do Zen simplesmente lendo livros filosóficos, como é popular no Ocidente. A menos que as pessoas possam aplicar os princípios básicos e ativos do Zen em suas vidas diárias, não tem sentido”.

Masuno primeiro encontrou uma maneira de compartilhar essas ideias em um programa infantil da NHK, no qual ele introduziu as ideias do Zen para crianças do ensino fundamental. A série foi tão popular que a NHK publicou um texto de suas lições. O livro se tornou um best-seller no Japão e em breve será publicado em inglês como “Zen: The Art of Simple Living”.

Ilustrado por Zanna e Harry Goldhawk e traduzido por Allison Markin Powell, o resultado é um trabalho profundamente belo, fácil de ler, encorajando pensamento e reflexão profundos, mas o mais importante, atuando como um guia prático para a ação Zen.

Dividido em quatro seções, Masuno usa linguagem simples para explicar conceitos zen como gassho (palmas pressionadas juntas, uma ação que “estimula um senso de gratidão”) ou mitigar (esforçando-se para ver as coisas de uma maneira diferente) e oferece conselhos para ativamente transformar essas idéias em hábitos de vida. Seu conselho é apoiado por histórias e provérbios Zen. Como Masuno afirma na introdução, “Zen é sobre hábitos, ideias e dicas para viver uma vida feliz. Um tesouro, se quiserem, de sabedoria vital profunda e simples.

“Reserve tempo para o vazio. Primeiro, observe-se”, escreve Masuno no primeiro capítulo. Em um padrão repetido ao longo do livro, o capítulo de uma página exalta uma ação e sugere maneiras e práticas para realizar a ação na vida diária. Para dar tempo ao vazio, por exemplo, Masuno recomenda usar 10 minutos por dia para esvaziar a mente. Como o capítulo conclui: “Quando você não está distraído por outras coisas, seu eu puro e honesto pode ser revelado”.

“O verdadeiro Zen é tentar tornar a vida tão curta quanto possível e buscar verdades universais ou imutáveis ​​neste mundo”, explica Masuno, citando um exemplo da primeira brisa quente da primavera. “As pessoas há mil anos sentiram-se felizes em receber a primavera, e as pessoas daqui a mil anos provavelmente se sentirão do mesmo jeito. Este é um exemplo de uma verdade universal, coisas que são imutáveis ​​e que precisamos ativamente notar e valorizar”.

Usar a natureza para revelar as verdades zen vem facilmente para Masuno. Bem conhecido no Ocidente como designer de jardins zen, muitos dos livros de jardinagem de Masuno também foram traduzidos para o inglês.

Tendo crescido no templo zen de seu pai em Yokohama, ele ficou chocado com a diferença nos serenamente lindos jardins dos templos de Kyoto que visitou pela primeira vez no quinto ano. “O jardim do nosso templo era apenas um lugar onde eu podia correr por aí. Descobri mais tarde que nosso templo uma vez teve um jardim no Período Edo (1603-1868), mas foi destruído na guerra. Então, quando fui a Kyoto e vi os deslumbrantes jardins do templo, fiquei imaginando por que havia tanta diferença entre a nossa e a do jardim em Kyoto”, diz ele. “Foi como um choque cultural”.

Dentro da cultura do sacerdócio zen, há uma tradição estabelecida de sacerdotes que se expressam através da arte da jardinagem e da colocação de pedras como parte de sua prática ascética, chamada ishidatesō . O caminho da vida de Masuno se desdobrou. Antes de ordenar como sacerdote, Masuno estudou e aprendiz sob o aclamado designer de jardins Katsuo Saito.

Mesmo depois de assumir seu papel de padre chefe em 2000, Masuno continuou a projetar e ensinar outros como professor no departamento de design ambiental da Tama Art University. “Eu trabalho principalmente com espaços ao ar livre, mas isso também inclui interiores, já que o interior e o jardim não podem ser separados no Japão”, diz ele. “Quando faço jardins no exterior, sinto que é uma chance de explicar a beleza japonesa a pessoas de outros países. Se eles notarem as coisas – como o jardim é uma extensão do interior – e isso despertar seu interesse pelo Japão, então se tornará um grande tipo de intercâmbio cultural”.

Para Masuno, prática zen, conexões culturais e jardinagem estão todas interligadas, e seu livro reflete isso com inúmeros pontos que se conectam à jardinagem. Plante uma única flor, sugere um capítulo. Crie um pequeno jardim na sua varanda ou janela, aconselha outro: “Dentro desse espaço, tente representar a paisagem da sua mente.”

Como a jardinagem, outra razão pela qual o trabalho de Masuno ressoa é porque se concentra claramente no processo, não em qualquer resultado prometido. “No mundo ocidental, o foco está no resultado – defensores da meditação da atenção plena, por exemplo, enfatizam como você terá pensamentos mais claros e menos estresse”, explica Masuno. “Mas o zen é sempre sobre a prática em si; os resultados são secundários. É claro que o zen é importante espiritualmente no mundo de hoje. Há duzentos anos atrás não havia internet, nem trens rápidos, nem jatos e nem telefones celulares … mas muito mais pessoas hoje sofrem de doenças mentais e depressão. A taxa de suicídio hoje está em um momento alto. Então, apesar de todos os avanços modernos, você não pode dizer que nossa geração está mais satisfeita”.

Masuno acredita que há uma necessidade crescente de prática zen no mundo de hoje, e ele agradece o sucesso do livro em japonês, nunca esperando uma tradução para o inglês. Sem surpresa, Masuno tem um objetivo simples para o seu livro para o público de leitura em inglês: “Espero que o livro tenha um efeito calmante para trazer paz de espírito às pessoas, ajudando-as a encontrar um meio de viver ativamente a cada dia com gratidão e significado. O Zen deve fundamentalmente levar a filosofia à prática”.

Este pequeno, mas poderoso livro mostra isso.

Fonte: https://www.japantimes.co.jp/culture/2019/04/13/books/zen-art-simple-living-habits-ideas-hints-living-happy-life/#.XLKzQ-hKg2w.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here