Início Japão Crime Executivos da Mitsubishi aceitam colaborar com a justiça

Executivos da Mitsubishi aceitam colaborar com a justiça

424
0
O montante era grande e era um crime organizado, envolvendo muitas seções, como um departamento de vendas", disse o juiz. Foto: Twitter

Um tribunal de Tóquio considerou nesta sexta-feira (01) que dois ex-executivos da Mitsubishi Hitachi Power Systems foram culpados de subornar um alto funcionário tailandês por causa de um projeto de usina de energia após a dupla ter decidido fazer um acordo, inédito no país.

O Tribunal Distrital de Tóquio deu sentenças suspensas de 18 meses e 16 meses para Fuyuhiko Nishikida, 63, e Yoshiki Tsuji, 57, respectivamente. As sentenças foram suspensas por três anos.

Como prova, o tribunal adotou o acordo assinado pelos promotores e pela Mitsubishi Hitachi Power Systems Ltd. que protege a empresa de acusação em troca de cooperação com a investigação e o julgamento.

De acordo com a decisão, a dupla conspirou com o gerente do projeto, Satoshi Uchida, 64, e pagou 11 milhões de baht (US $ 347.000) em fevereiro de 2015 para um funcionário tailandês do Ministério dos Transportes receber tratamento favorável ao descarregar a carga.

Autoridades tailandesas disseram a eles que a empresa não cumpriu as condições para a descarga de carga.

Os dois homens admitiram as acusações, mas seus advogados pediram clemência, dizendo que foram obrigados a atender a demanda do servidor público tailandês e não tiveram ganhos pessoais com o suborno.

Ao proferir a sentença, o juiz Tatsuya Tosuke, presidente da câmara, disse que os dois homens, responsáveis ​​pelo transporte de equipamentos, decidiram pagar o suborno depois de verificar com Uchida.

“O montante era grande e era um crime organizado, envolvendo muitas seções, como um departamento de vendas”, disse o juiz.

Os advogados argumentaram que “não era justo” que os três homens fossem os únicos processados. Uchida também está sendo julgado em um caso separado.

A Mitsubishi Hitachi Power System tomou conhecimento do assunto em março de 2015, após ser alertada por um denunciante. Ele relatou a questão ao Ministério Público do Distrito de Tóquio após uma investigação interna.

A firma de Yokohama entrou em um acordo junho passado, quando o sistema acabara de ser lançado no Japão.

Fonte: KYODO

https://www.japantimes.co.jp/news/2019/03/01/national/crime-legal/ex-mitsubishi-hitachi-power-systems-execs-convicted-bribes-walk-result-japans-first-plea-bargain/#.XHlH1IhKjIU.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here