Nesta quarta-feira (10), o Supremo Tribunal de Fukuoka confirmou a decisão de rejeitar o apelo dos residentes locais para suspender a operação dos reatores nucleares da província de Saga, no sudoeste do Japão. 




 

Em 2017, cerca de 170 moradores apelaram para o Tribunal do distrito de Saga, a fim de buscar uma liminar judicial para interromper a operação dos reatores número 3 e 4, da usina nuclear de Genkai, operada pela Kyushu Eletric Power Co., citando suas preocupações com a segurança da população. 

Seus argumentos foram de que a empresa subestima os efeitos potenciais do movimento sísmico, e que qualquer falha na resistência da estrutura tubular, poderia levar a sérios acidentes. 

No processo, os solicitantes acrescentaram o argumento de que os reatores enfrentam o risco de que o vulcão do monte Aso seja ativado e alegaram que os fluxos piroclásticos poderiam chegar até a usina. 

Em resposta, a empresa alegou que mantém atualizado a prevenção da agitação sísmica e está implementando as medidas de segurança necessárias para a renovação da tubulação da usina.  

Os reatores de número 3 e 4 foram reativados em março e junho, respectivamente, no ano passado. Porém a operação da unidade número 3 foi suspensa temporariamente desde maio deste ano, para inspeções regulares. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.