Início Japão Cultura Artista japonês quer aumentar a conscientização sobre as lutas enfrentadas pelos refugiados

Artista japonês quer aumentar a conscientização sobre as lutas enfrentadas pelos refugiados

149
0
scmp

O artista japonês contemporâneo Yoshitomo Nara convidou os visitantes para um simpósio de ajuda internacional em Tóquio para tentar “imaginar” estar na pele de pessoas deslocadas durante um discurso onde ele compartilhou sua experiência de visitar campos de refugiados na Jordânia.




 

No evento realizado sábado na Universidade das Nações Unidas, Nara, conhecido por suas pinturas de uma criança pequena olhando para os telespectadores, pediu mais atenção para as pessoas vulneráveis ​​no mundo, como aqueles que fugiram da guerra na Síria.

O artista apresentou campos de refugiados Zaatari e Azraq, que ele visitou em março em nome de uma organização sem fins lucrativos envolvida em atividades de ajuda humanitária.

Junto com as fotos, incluindo aquelas de crianças sorridentes e comida da Síria, ele também mostrou uma pintura que ele comprou de um artista local.

“Você não precisa necessariamente apoiar os refugiados sírios”, disse ele à platéia, acrescentando que aprendeu com a experiência que, ao pensar em pessoas que enfrentam dificuldades e começando com pequenas coisas para ajudá-las, o espírito de cuidado acabará por chegar a outros.

“Para mim, percebi que tenho mais capacidade de pintar do que os outros, por isso, acho que poderia apoiá-los de alguma forma.”

As obras de Nara, que também visitaram campos de refugiados no Afeganistão e no Paquistão em 2002, costumam incluir mensagens de paz.

Embora a visita não visasse inspirar sua criatividade, ele disse ter certeza de que a experiência de conhecer pessoas cheias de vida apesar de suas situações difíceis se refletiria em seus trabalhos futuros.

“A experiência (da visita) me ajuda a ter uma visão mais realista da vida dos refugiados”, disse ele.

Em junho de 2019, havia cerca de 5,4 milhões de refugiados sírios registrados, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados. Muitos deles ficam em países vizinhos como a Turquia, o Líbano e a Jordânia.

O Japão, que mantém uma rígida política de imigração, só aceitou principalmente estrangeiros com altos níveis de habilidade, como os das áreas de medicina e direito, enquanto acolhia apenas um pequeno número de refugiados.

Em 2018, apenas 42 dos 10.493 requerentes de asilo receberam o status de refugiado, de acordo com o Ministério da Justiça.

A viagem de nove dias de Nara até 9 de março foi planejada pela Japan Platform, uma organização que coordena a assistência humanitária de emergência e tenta conscientizar sobre as situações enfrentadas pelos refugiados.

Fonte: KYODO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here