Início Destaques Japão Aumenta o número de mulheres vítimas de violência doméstica

Aumenta o número de mulheres vítimas de violência doméstica

507
0
Houve 109 casos de violência doméstica envolvendo tentativa de homicídio, de acordo com os dados da agência. Foto: Japo vn

O Japão continua a ver um aumento nos casos de violência doméstica, há registro de 9.088 casos em 2018, a Agência Nacional de Polícia disse quinta-feira, marcando o 15º aumento anual consecutivo desde que a agência começou a coletar dados em 2003.

O NPA disse que o aumento da conscientização social sobre o assunto pode ter resultado em um aumento no número de pessoas que buscam consultas policiais, levando a prisões e outras ações. O número de 2018 subiu 666 em relação ao ano anterior.

O NPA disse que haviam 77.482 casos de pessoas em contato com a polícia local sobre problemas de violência doméstica, um aumento de 5.027.

A polícia suspeita que dois casos de violência doméstica levaram à assassinatos.

Em fevereiro do ano passado, uma mulher foi morta em um incêndio em Himeji, na província de Hyogo. A polícia prendeu um homem que estava vivendo com a vítima por suspeita atirar líquido inflamável sobre a mulher e a incendiou.

Em agosto, uma mulher em Misawa, na província de Aomori, foi supostamente esfaqueada até a morte por seu ex-marido. Eles trabalhavam na mesma fábrica de processamento de carnes e a mulher reclamou com a polícia sobre postagens difamatórias feitas pelo homem em um quadro de avisos da Internet.

Houve 109 casos de violência doméstica envolvendo tentativa de homicídio, de acordo com os dados da agência.

Enquanto cerca de 80 por cento das vítimas de violência doméstica eram mulheres, o número de vítimas do sexo masculino quase triplicou de 2014 a 2018 para atingir 15.964, segundo a agência.

Por idade, as vítimas em seus 30 anos representaram a maior proporção, 28,2%, as de 40 anos em 24,1% e de 20 anos em 23,4%.

Os cônjuges ou ex-cônjuges eram perpetradores em 76,1% dos casos.

Os casos de perseguição diminuíram 161 do ano anterior para 2.464 em 2018, enquanto as consultas com a polícia sobre perseguição também diminuíram, de 1.523 a 21.556. A polícia disse que um aperto na lei anti-perseguição provavelmente serviu como um impedimento.

Um caso de perseguição resultou em um assassinato.

Em novembro, uma mulher filipina foi supostamente esfaqueada até a morte por seu ex-namorado em Hamamatsu, na província de Shizuoka. O suspeito havia sido avisado pela polícia para ficar longe dela.

Quase 90% das vítimas de stalking, ou 18.949, eram mulheres. Namorados ou namoradas atuais ou anteriores foram responsáveis ​​pela maior proporção de stalkers em 43,3 por cento, enquanto 7,5 por cento eram estranhos.

O número de consultas com a polícia sobre a chamada pornografia de vingança chegou a 1.347 casos em 2018, um aumento de 104, de acordo com a agência. A polícia reconheceu 253 deles como violações de leis relacionadas.

A pornografia de vingança envolve uma vítima que possui imagens comprometedoras de natureza sexual retidas, distribuídas ou usadas como uma forma de alavancagem por outra pessoa.

As mulheres foram vítimas em 93,3% dos casos de pornografia de vingança.

Fonte: KYODO

 

https://www.japantimes.co.jp/news/2019/03/28/national/crime-legal/police-took-action-record-9088-domestic-violence-cases-across-japan-2018/#.XJz605hKjIU.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here