O autor de um massacre que matou 19 pessoas portadoras de deficiência em um tumulto no ano de 2016, foi condenado à morte nesta segunda-feira. 

Satoshi Uematsu, de 30 anos, admitiu que esfaqueou até a morte, 19 pessoas em um atendimento para pessoas com deficiência mental, onde ele trabalhava em Sagamihara, na província de Kanagawa. Muitos foram esfaqueados enquanto dormiam. 

A carnificina causou um grande choque por todo o país, onde crimes violentos são raros, devido ao rígido controle de armas. 

O homem disse, em sua última sessão judicial no mês passado, que matou as pessoas por elas serem incapazes de se comunicar e, portanto, seriam um farto para a sociedade. 

O condenado, foi sentenciado a enforcamento, segundo as determinações do juiz Kiyoshi Aonuma. 

“O crime de Uematsu foi premeditado, com fortes evidências do seu desejo de matar”, disse o juiz em um tribunal lotado de familiares das vítimas. “A sua maldade foi extrema”. 

Uematsu, compareceu ao tribunal vestido com um terno preto e cabelos compridos presos em um rabo de cavalo. Ele ficou sentado olhando calmamente para o juiz durante a sessão do tribunal e disse durante uma sessão de julgamento, que não tinha a intenção de apelar pela sua liberdade. 

Leia também:  Apple fecha todas as lojas fora da China até dia 27 de março 

Mundo-nipo: O principal portal de notícias do Japão 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here