Início Destaques Japão Células-tronco são utilizadas para a cura de grave doença ocular

Células-tronco são utilizadas para a cura de grave doença ocular

634
0
Os pacientes receberam os transplantes de células da retina cultivadas artificialmente feitas a partir de células iPS doadoras. Foto: Público

Uma equipe japonesa informou na quinta-feira (18) que cinco pacientes com uma grave doença ocular estavam bem depois de receberem em 2017 as primeiras cirurgias de transplante do mundo usando células-tronco pluripotentes induzidas, conhecidas como células iPS.

Como parte de um programa de pesquisa clínica, os pacientes receberam os transplantes de células da retina cultivadas artificialmente feitas a partir de células iPS doadoras como um tratamento para degeneração macular relacionada à idade do tipo úmido, que muitas vezes pode levar à cegueira.

O primeiro transplante foi realizado em março de 2017. Nas cirurgias, um líquido contendo células da retina foi injetado nos olhos dos pacientes.

As células da retina transplantadas ficaram firmemente fixadas, e um paciente cujo corpo rejeitou o transplante em grau moderado foi capaz de superá-lo tomando medicamentos, de acordo com o líder do projeto, Masayo Takahashi, pesquisador do Instituto Riken, apoiado pelo governo.

Dos cinco, quatro mantiveram seu nível de acuidade visual após as operações, enquanto um experimentou uma melhora em sua visão.

“Achamos que fomos capazes de garantir a segurança (do tratamento). Gostaríamos de começar novos testes clínicos para descobrir que tipo de sintomas o tratamento seria altamente eficaz”, disse Takahashi no primeiro relatório detalhado sobre a recuperação pós-cirúrgica dos pacientes.

O primeiro paciente, um homem que vivia na província de Hyogo, experimentou níveis aumentados de fluido em sua retina devido à rejeição, mas a administração de esteroides o conteve, segundo a equipe, que envolveu Riken e o Hospital Geral do Centro Médico da Cidade de Kobe.

Os ensaios usaram células iPS armazenadas na Universidade de Kyoto, projetadas para reduzir o risco de rejeição. Shinya Yamanaka, uma das duas pessoas premiadas com o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 2012 pela descoberta de que células poderiam ser reprogramadas em células iPS, lidera a pesquisa iPS na universidade e está trabalhando para adaptar o tratamento a muitos tipos de doenças e ferimentos.

Em comparação com o uso de células iPS retiradas dos próprios pacientes, o uso de células doadoras em estoque pode reduzir o custo e o tempo para cultura de células para transplantes, de acordo com a equipe.

Dos cinco, o segundo paciente sofreu uma retina inchada depois de passar pelo transplante, disse a equipe em janeiro do ano passado. Mas o grupo concluiu que fazia parte das complicações cirúrgicas, em vez de rejeitar as células iPS transplantadas.

Em 2014, Takahashi e outros conseguiram pela primeira vez no mundo transplantar em uma mulher células da retina cultivadas a partir de suas próprias células iPS.

Fonte: KYODO

https://www.japantimes.co.jp/news/2019/04/18/national/science-health/patients-well-landmark-2017-retina-transplants-via-donor-ips-cells-japan/#.XLiMmuhKjIU.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here