Início Destaques Japão Corte sul-coreana aprova a penhora de ativos da Mitsubishi Heavy Industries

Corte sul-coreana aprova a penhora de ativos da Mitsubishi Heavy Industries

440
0
A Corte sul-coreana autorizou a penhora de patentes e marcas da Mitsubishi Heavy Industries. Foto: Nikkei Asian Review

Uma corte sul-coreana aprovou na segunda-feira (25) um pedido para apreender os ativos da Mitsubishi Heavy Industries Ltd. na Coréia do Sul depois que a empresa se recusou a indenizar os coreanos que haviam ganhado uma ação contra o trabalho forçado.

A decisão do tribunal distrital de Daejeon seguiu uma decisão da Suprema Corte sul-coreana no ano passado que ordenou que a grande fabricante japonesa compensasse os que foram forçados a trabalhar para a empresa durante a Segunda Guerra Mundial.

A Mitsubishi Heavy Industries é a segunda empresa japonesa a ser atingida por essa medida, depois que uma corte sul-coreana aprovou em janeiro a apreensão de ativos da Nippon Steel & Sumitomo Metal Corp. para compensar os coreanos pelo mesmo motivo que a Mitsubishi Heavy Industries.

A apreensão por ativos no caso da Mitsubishi Heavy Industries foi o direito a duas marcas e seis patentes de propriedade da empresa na Coréia do Sul, que os advogados avaliaram em cerca de 800 milhões de won (77,77 milhões de ienes).

Os ativos seriam destinados a compensar quatro dos cinco demandantes do caso, que incluíam ex-membros do chamado Corpo Voluntário do Trabalho das Mulheres Coreanas.

As decisões nos tribunais sul-coreanos contra as empresas japonesas sobre o trabalho em tempo de guerra e os movimentos legais subsequentes, como as apreensões de ativos, azedaram os laços já tensos entre o Japão e a Coréia do Sul.

O mais recente desenvolvimento legal deve atrair críticas do governo japonês, que sustenta que a questão das reivindicações decorrentes do domínio colonial da Península Coreana entre 1910 e 1945 no Japão já foi resolvida como parte de um tratado de 1965 que estabeleceu relações diplomáticas com a Coreia do Sul.

Em sua decisão de 29 de novembro, a Suprema Corte ordenou que a Mitsubishi Heavy Industries pagasse indenizações a vários grupos de coreanos depois de concluir que o direito das vítimas de trabalho forçado de buscar compensação não foi anulado por um acordo assinado com o tratado de 1965.

Um dos grupos era formado por cinco demandantes, incluindo ex-membros do chamado Corpo de Trabalho Voluntário da Mulher Coreana.

De acordo com as decisões judiciais, as mulheres foram feitas para trabalhar em uma fábrica da Mitsubishi Heavy Industries em Nagoya, no final da Segunda Guerra Mundial.

Depois que a empresa continuou rejeitando as negociações de compensação por vários meses – durante os quais um dos autores morria, em janeiro – os advogados dos queixosos entraram com um pedido em 7 de março para apreender os direitos de duas marcas e seis patentes de propriedade da empresa no sul. Coréia.

O Tribunal Distrital de Daejeon enviará sua decisão ao Escritório de Propriedade Intelectual da Coréia, disse um dos advogados, acrescentando que há apenas alguns pequenos passos para o escritório da propriedade tomar antes que a ocupação faça efeito.

Um grupo cívico que apoia os queixosos do caso disse em comunicado que medidas processuais seriam tomadas para vender os ativos, a menos que a Mitsubishi Heavy Industries mostre uma atitude “sincera” em relação à adesão à decisão do tribunal.

Em meados de março, altos funcionários do Ministério das Relações Exteriores de ambos os países realizaram conversas em Seul com o objetivo de colmatar as divergências sobre o assunto, mas a reunião terminou sem nenhum progresso.

Fonte: KYODO

https://www.japantimes.co.jp/news/2019/03/25/national/south-korea-court-approves-seizure-mitsubishi-heavy-assets-wartime-labor/#.XJjo9JhKjIV.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here