Cuba anunciou na quinta-feira (4) uma redução de páginas e frequência de seus principais jornais, devido à intensificação das sanções econômicas desde que o presidente Donald Trump chegou à Casa Blanca.

“Devido a dificuldades com a disponibilidade de papel-jornal no país, as edições do jornal Granma das quartas e sextas-feiras, assim como dos semanários Granma Internacional, Trabajadores, Orbe y Opciones, serão reduzidas de 16 para oito páginas a partir da sexta-feira, 5 de abril”, disse o governo.

O Juventud Rebelde, diário da juventude comunista, circulará aos domingos com suas páginas habituais e “deixará de circular aos sábados”, enquanto “outras publicações impressas em papel-jornal também terão sua circulação afetada”, afirma a nota, sem maiores detalhes.

Os jornais estatais manterão suas edições digitais. Uma redução semelhante ocorreu na década de 1990, durante o denominado “Período Especial”, como se qualificou a crise econômica provocada pelo colapso da União Soviética.

O governo comunista admitiu publicamente o desabastecimento, argumentando que “produções importantes para a economia não foram atendidas”.

Fonte: Terra

https://www.terra.com.br/noticias/mundo/cuba-reduzira-paginas-e-frequencia-de-jornais-oficiais-por-falta-de-papel,3589a57bc64262a93ac7d40db7a9bf4fr6qoj7hy.html.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.