Para resolver o dilema em que as mães estão enfrentando devido as restrições de tempo para trabalhar e cuidar de seus filhos pequenos, a cidade de Toyoooka, na província de Hyogo está promovendo a introdução de empregos com horas de trabalho reduzidas, por dois dias na semana.  

A medida tem a finalidade de reduzir a escassez de mão-de-obra, ao mesmo tempo em que remove as barreiras que impedem que milhares de mães ingressem na força de trabalho, por não poder abrir mão de ficar com os seus filhos. 

No final da tarde, no berçário da Terrace House, em Toyooka, o assistente do berçário Yoshimi Kawami, 34, checa crianças do jardim de infância dormindo enquanto pega um cobertor. Kawami, que também ajuda na alimentação e limpeza, trabalha no berçário das 11 às 15 horas, três dias por semana. 

Depois de se qualificar para um emprego em uma escola em ToyookaKawami realizou o sonho de ser mãe e precisou ficar em casa.  

Mesmo procurando emprego, Kawami acabou desistindo da carreira, porque nada permitia que ela também tivesse um tempo para a sua filha.  

Em uma pesquisa realizada em Toyooka, 170 de 198 mulheres desempregadas disseram que ainda sonhavam voltar a trabalhar após se tornarem mães. Entretanto as restrições de tempo as deixavam incapazes de trabalhar.  

Após o resultado das pesquisas, as autoridades de Toyooka realizou uma consulta em cooperação com empresas locais, onde cerca de 30 mulheres participaram de uma sessão de consulta ao lado de 14 empresas que concordaram introduzir empregos de horas reduzidas. 

O trabalho de Kawami é exatamente uma dessas oportunidades. 

“Eu realmente sinto que sou útil para a sociedade”, disse Kawami. 

Leia também: Empresas japonesas se preparam para o Coronavírus neste feriado  

Mundo-nipo: O principal portal de notícias do Japão 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here