Início Destaques Especialista em direitos da ONU pede que o Japão suspenda o retorno...

Especialista em direitos da ONU pede que o Japão suspenda o retorno a Fukushima

294
0
O retorno de mulheres e crianças para as áreas afetadas por radiação serão postergadas. Foto: Mainichi Shimbun

GENEBRA (Kyodo) – O governo japonês deve suspender o retorno de mulheres e crianças deslocadas pelo desastre nuclear de março de 2011 para áreas de Fukushima, onde os níveis de radiação continuam altos, disse um especialista em direitos humanos da ONU na quinta-feira.

O relator especial sobre substâncias perigosas, Baskut Tuncak, também criticou em seu comunicado a remoção gradual do governo de ordens de evacuação para a maioria das áreas irradiadas, bem como seu plano de levantar todas as encomendas nos próximos cinco anos, mesmo para as áreas mais contaminadas.

“O levantamento gradual das ordens de evacuação criou enormes tensões em pessoas cujas vidas já foram afetadas pelo pior desastre nuclear deste século. Muitos sentem que estão sendo forçados a retornar a áreas que não são seguras”, disse ele.

Um funcionário da missão permanente do Japão às organizações internacionais em Genebra refutou a declaração, dizendo que ela é baseada em informações extremamente unilaterais e pode alimentar medos desnecessários sobre Fukushima.

Tuncak expressou preocupação com o retorno de pessoas a áreas com radiação acima de 1 millisievert por ano, um nível anteriormente observado pelo Japão como limite anual para prevenir riscos à saúde de pessoas vulneráveis, especialmente crianças e mulheres em idade reprodutiva.

“É decepcionante ver o Japão parecer ignorar a recomendação de 2017 do mecanismo de monitoramento de direitos humanos da ONU para retornar ao que considerava uma dose aceitável de radiação antes do desastre nuclear”, disse ele.

Na esteira do incidente nuclear de Fukushima, o governo japonês aumentou o nível de radiação anual aceitável para 20 millisieverts, levantando preocupações com a saúde dos moradores.

Em agosto, Tuncak e dois outros especialistas em direitos humanos da ONU criticaram o governo japonês por supostamente explorar e colocar em risco a vida de “dezenas de milhares” de pessoas envolvidas em operações de limpeza na usina nuclear de Fukushima Daiichi, uma reivindicação de Tóquio.

Fonte: Mainichi Shimbun

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here