1.236 visualizações 7 min 0 Comentário

Flexibilização para estrangeiros de todos os países será em 3 fases, inicia em 1º de outubro

- 25 de setembro de 2020

O Japão vai relaxar a partir de outubro suas restrições de fronteira com o objetivo de controlar a disseminação do novo coronavírus para permitir a entrada de novos solicitantes de visto que não sejam turistas de todas as regiões.

A mudança foi anunciada na sexta-feira durante uma reunião do subcomitê do governo sobre o vírus e foi definida para ser aprovada na reunião subsequente da força-tarefa de vírus do governo, em uma ação há muito esperada para relaxar as rígidas restrições de viagens do país. As restrições foram introduzidas em abril como uma medida temporária de controle de fronteira com o objetivo de conter a transmissão do vírus.

Sob os controles de viagens existentes, viajantes de 159 países e regiões tiveram a entrada negada em princípio.

Até o momento, exceções foram feitas para cidadãos estrangeiros com status de residência válido, alguns recém-chegados em situações de urgência, bem como certos solicitantes de visto cujas famílias moram no Japão ou cuja presença é necessária para que seu empregador continue suas operações comerciais.

As medidas relaxadas de controle de fronteira, que entrarão em vigor na quinta-feira, serão aplicadas aos novos moradores com permissão de permanência por mais de três meses, independente de onde venham.

Com a revisão, que não abrangerá turistas, os estrangeiros poderão viajar ao Japão em fases, por motivos que incluem a prestação de serviços médicos, a participação em atividades culturais ou a realização de atividades educacionais.

Após a mudança, o escopo de candidatos qualificados será expandido para incluir estudantes internacionais com financiamento privado. Desde agosto, o governo está em processo de retomada do processamento de vistos para estudantes patrocinados pelo governo. Os regulamentos revisados ​​também cobrirão parentes visitantes usando um visto de estadia familiar.

Viajantes de regiões com maior número de infecções por coronavírus estarão sujeitos a procedimentos de entrada mais rígidos.

“A retomada das viagens internacionais é indispensável para revitalizar a economia (da nação)”, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga à força-tarefa do governo.

A decisão de relaxar as restrições de entrada veio enquanto o Japão se preparava para os Jogos de Tóquio, que começarão em 23 de julho do próximo ano. Com as mudanças, o governo também deve permitir a entrada de profissionais do esporte, beneficiando os atletas que pretendem disputar os jogos do próximo ano.

No entanto, o Japão permitirá apenas um número limitado de novas chegadas internacionais – até cerca de 1.000 por dia – parcialmente devido à capacidade limitada de testes nos aeroportos. As limitações não se aplicam a cidadãos japoneses.

O governo está planejando aumentar o número de testes realizados em aeroportos internacionais para 20.000 em novembro.

Todos os estrangeiros que viajam para o Japão devem se submeter a testes de vírus e, com algumas exceções, observar um período de quarentena de 14 dias na chegada.

Após as recentes revisões dos protocolos, todos os viajantes estrangeiros, incluindo aqueles com status de residência legal no Japão, também precisam apresentar prova de que testaram negativo para COVID-19 dentro de 72 horas antes de sua partida para o Japão.

Como os procedimentos de entrada variam para diferentes categorias de visto, os estrangeiros que planejam viajar para o Japão deverão apresentar sua programação de viagem ou itinerário detalhado no Japão e estarão sujeitos a medidas de controle adicionais.

Simultaneamente, o governo está abrandando as restrições para viajantes a negócios. Na sexta-feira, o Ministério das Relações Exteriores anunciou que o Japão em breve reabriria suas fronteiras para expatriados de longo prazo de Cingapura e Brunei sob um acordo recíproco, que determinará que os elegíveis para viajar se isolem por 14 dias após entrarem nos respectivos países.

O Japão está em negociações para retomar as viagens de negócios com 16 economias, principalmente na Ásia, incluindo Austrália, China, Malásia, Mianmar, Nova Zelândia, Cingapura, Coréia do Sul, Taiwan, Tailândia e Vietnã. A pandemia é considerada relativamente sob controle em todas essas regiões.

Até agora, ele reabriu as fronteiras para viajantes de longo e curto prazo de sete países: Camboja, Laos, Malásia, Mianmar, Taiwan, Tailândia e Vietnã. Cingapura e Brunei são as últimas novidades do programa recíproco de viagens de negócios.

O programa permite que viajantes a negócios de curto prazo entrem no país de destino sem a necessidade de se isolar, desde que o teste de COVID-19 seja negativo antes da viagem e na entrada no país de destino.

A proibição de viagens do Japão atraiu críticas não apenas da comunidade estrangeira do país, mas também de grupos empresariais internacionais e instituições educacionais que dependem de talentos estrangeiros, já que afetou centenas de milhares de novos solicitantes de visto que virão ao Japão para trabalhar ou estudar.

Muitas pessoas que não puderam viajar durante a pandemia disseram que a proibição de viajar prejudicou suas oportunidades educacionais ou de emprego.

Fonte: Japan Times 26/09/2020
https://www.japantimes.co.jp/news/2020/09/25/national/social-issues/japan-non-tourist-new-visa-entry/

Portal Mundo-Nipo
Sucursal Japão Tóquio
Jonathan Miyata