Início Destaques Japão Fukutsu, a cidade renasce após fase de abandono

Fukutsu, a cidade renasce após fase de abandono

264
0
Toru Tominaga, terceiro da direita, e outros membros de um grupo de leitura de jornais discutem um artigo interessante. Foto: Twitter

Fukutsu, Fukuoka – O distrito Tsuyazaki, Fukutsu na província de Fukuoka, evoluiu através da extração de sal e centro de comércio marítimo do no período Edo (1603-1867) até a era Taisho (1912-1926).

O distrito é o lar de Tsuyazaki Sengen, uma área de ruas estreitas repletas de casas antigas. Há um projeto para vitalizar Tsuyazaki Sengen, isso inclui reparar e restaurar casas vazias.

Um número crescente de pessoas mudou-se para o distrito nos últimos 10 anos. É comum haver lista de espera para as pessoas que querem se mudar para uma dessas casas.

No final de setembro, o lojista Toru Tominaga (31), e mais oito outras pessoas sentaram-se em torno de uma mesa em uma sala de chão de terra no Minanoengawa Ohmaru-ya, um local para eventos locais e encontros sociais em Tsuyazaki.

“Vamos recortar artigos que retrate Tsuyazaki e apresentá-los ao grupo”, disse Tominaga nesta reunião.

Este local também foi anteriormente uma das casas vazias do distrito.

O prédio de madeira de dois andares construído há cerca de 140 anos perdeu seu ocupante depois da morte da avó de Tominaga em 2014. A mãe de Tominaga que mora na província de Chiba, inicialmente ficou perturbada com o que fazer com a casa. Ela decidiu procurar o conselho de Noriaki Furuhashi (36) que administra um negócio imobiliário em Tsuyazaki.

Em 2015 Furuhashi estabeleceu um grupo, para promover o uso de edifícios vazios em Tsuyazaki. Desde então, ele ofereceu aconselhamento e consultas gratuitas para pessoas que estão pensando em dar vida nova a esses prédios.

Tominaga, que era professor do ensino fundamental na prefeitura de Fukuoka na época, envolveu-se nas palestras, o que o deixou mais interessado no projeto. Ele decidiu deixar seu emprego e se mudar para o distrito na primavera de 2016 para realizar os anseios de sua mãe: usar as instalações para permitir que moradores e visitantes tenham encontros sociais.

No início, Tominaga lutou para elaborar um plano de desenvolvimento. “Eu não tinha ideia do que deveria fazer”, lembrou Tominaga. Mas ao envolver-se ativamente na comunidade, Tominaga desenvolveu uma imagem clara de como a casa poderia ser transformada para servir a área.

No verão de 2017, Tominaga removeu a porta da entrada do prédio Ohmaru-ya para facilitar a parada das pessoas. Isso parece ter funcionado. Um número crescente de eventos passaram a acontecer incluindo reuniões em que os participantes tomam café ou cantam. Alunos do ensino fundamental a caminho de casa também usam o prédio como um espaço para fazer o dever de casa.

O artista de cerâmica Kensuke Fujiyoshi (51), que se mudou para Tsuyazaki há seis anos, é um participante regular do grupo.

O Tsuyazaki Branch, uma organização que busca impulsionar a economia local de Tsuyazaki apoiando pessoas que se mudam para o distrito, foi lançado em 2009. Desde que a organização começou a ajudar as pessoas que desejam se mudar para o distrito e usar as casas vagas, a população de Tsuyazaki Sengen, que estavaem declínio devido ao fechamento de uma linha ferroviária privada e outras razões, cresceu em cerca de 200 pessoas num prazo de em nove anos.

Furuhashi também se mudou para Tsuyazaki há cinco anos. “Ver as luzes acesas novamente no que eram casas vazias me inspira a continuar fazendo isso”, disse ele.

Governo suporta a restauração

O número de casas e prédios vazios no Japão está aumentando à medida que o país enfrenta uma população envelhecida e uma taxa de natalidade cronicamente baixa. Em 2013, havia 8,2 milhões de moradias desocupadas, um aumento de 80% em relação aos 20 anos anteriores.

Isso desencadeou o surgimento de projetos com o objetivo de encontrar maneiras de fazer uso desses edifícios em todo o país. Alguns sucessos notáveis foram alcançados em áreas como Tsuyazaki Sengen, e uma rede estabelecida em Kyoto está garantindo que edifícios antigos sejam mantidos e entregues às gerações futuras.

O governo central também elaborou várias medidas de assistência para estimular o uso de habitações vagas. Neste ano fiscal, o Ministério de Terras, Infraestrutura, Transporte e Turismo lançou um modelo de projeto para fortalecer a cooperação entre as entidades, concebendo medidas para tornar prático o uso desses edifícios. O ministério fornece subsídios para organizações engajadas em atividades como nutrir recursos humanos e elaborar sistemas de consulta sobre casas vazias.

O grupo dedicado a promover o uso de edifícios vazios em Tsuyazaki está entre as organizações que usam este sistema.

Fukutsu, Província de Fukuoka

Uma cidade criada em 2005, através da fusão das cidades de Fukuma e Tsuyazaki, localizada entre as cidades de Fukuoka e Kitakyushu, Fukutsu cresceu 8.500 habitantes após sua criação, atualmente com 64.000.

Fukutsu é naturalmente rico e possui uma longa história. O lado oeste da cidade é banhado pelo mar de Genkainada, e é um local de desova para as tartarugas cabeçudas. Um conjunto de antigos túmulos em Fukutsu faz parte da Ilha Sagrada de Okinoshima e locais associados na região de Munakata, que foi inscrita na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 2017.

Fonte: Yomiuri Shimbun

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here