Segundo uma pesquisa feita pelo ministério do bem-estar e publicada nesta terça-feira, a maioria das famílias idosas vivem apenas com a aposentadoria. No entanto, esta porcentagem está diminuindo.




 

Em 2018 a parcela da população idosa que disse viver apenas com a renda da aposentadoria ou pensão militar caiu para 51,1%. Os 52,2% de 2017 vem caindo desde o seu pico em 2013, ao atingir 57,8%, isso tudo se reflete ao número cada vez maior de idosos que continuam trabalhando.

A divulgação dos dados ocorre em meio à crescente incerteza sobre a vida após se aposentar e um polêmico relatório do governo que afirma que um casal de idosos precisa de cerca de ¥20 milhões (aproximadamente 700 mil na moeda brasileira) em economias para sobreviver após se aposentar.

A pesquisa realizada entre junho e julho do ano passado teve como critério apenas casas com pessoas de 65 anos ou mais e também pessoas solteiras abaixo dos 18 anos.

A renda anual de uma família idosa é de ¥ 3.349.000, sendo que, deste total, 61,1% provenientes da aposentadoria ou pensão militar. Enquanto os rendimentos como salário e negócios representavam 25,4%.

Em todas as famílias pesquisadas, a renda média anual é ¥5,516,000, sendo que, 62,4% delas ganhavam menos que a média.

Para as famílias com membros menores de 18 anos, a média chegou a ¥7.436.000, isso se dá aparentemente pela renda dos pais.

A porcentagem de famílias que diz estar achando a vida difícil subiu para 57,7% de 55,8% em 2018, o primeiro aumento em 4 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.