Início Japão Cultura Imperador do Japão realiza o último ritual de colheita antes da abdicação

Imperador do Japão realiza o último ritual de colheita antes da abdicação

522
0
O Niiname Matsuri (新嘗祭) foi o último ritual feito pelo atual imperador Akihito antes da abdicação ao trono. Foto: Yahoo!ニュース

TÓQUIO (AP) – O imperador japonês Akihito deu graças aos deuses na sexta-feira por uma generosa colheita de outono, a última vez que ele realizará um dos mais importantes ritos anuais do palácio antes de abdicar na próxima primavera.

Akihito conduziu o ritual de “Niiname” na sexta-feira em um santuário do Palácio Imperial iluminado por tochas enquanto a música antiga era tocada. Ele ofereceu arroz colhido e outros itens aos deuses, agradecendo-os e orando pela paz da nação. 23 de novembro é o feriado nacional de ação de graças do Japão.

Parte do arroz foi colhido por Akihito de um campo dentro do palácio. O restante foi oferecido por agricultores de todo o país. Antes do ritual, Akihito convidou alguns fazendeiros para perguntar sobre suas colheitas este ano, segundo a mídia japonesa.

Akihito deve abdicar em 30 de abril e será sucedido no dia seguinte por seu filho, o príncipe herdeiro Naruhito.

Naruhito observou seu pai realizar o ritual na sexta-feira.

A oração da colheita religiosa é um dos cerca de 20 rituais que o imperador realiza em particular no palácio a cada ano, separados de suas funções oficiais.

O ritual de duas partes acontece depois da meia-noite – incluindo um intervalo de três horas – dentro do santuário sem aquecimento, o que torna difícil para o imperador de 84 anos. Ele participou apenas da primeira metade do rito nos últimos anos, com um assessor executando a segunda metade.

Segundo a tradição, o imperador deve sentar-se em linha reta com as pernas enfiadas debaixo dele por quase duas horas enquanto realiza o antigo ritual. Ele supostamente fica acordado em seu palácio para garantir que o ritual venha terminar em segurança.

Para se preparar, Akihito se senta na postura enquanto assiste a televisão ou durante as reuniões, segundo o jornal Mainichi.

Fonte:  Mainichi Shimbun

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here