A indústria de animação japonesa, está em plena expansão no país, porém sofre com crises referentes a baixos salários, longas horas de expediente e enorme escassez de artistas, justo quando sua popularidade está no auge.

Yoshiaki Nishimura, ex-integrante do aclamado Studio Ghibli que produziu o filme “O Conto da Princesa Kaguya”, disse que a indústria está lutando para “enfrentar a falta de animadores, más condições de trabalho até mesmo falta de criatividade”.

Os colegas de Nishimura também se queixam de baixos salários, uma escassez de jovens talentos emergentes e um desgaste excessivo em equipes de animação sobrecarregadas, que costumam dedicar-se em 12 a 18 horas por dia.




 

Considera-se que a indústria se dividiu em dois extremos: “Grandes produções que podem contar com um número incrível de animadores, porém escassez de criatividade e produções pequenas, porém com mais projetos artísticos que entretanto têm muito menos dinheiro”.

Fonte: AFP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.