Início Japão Cotidiano Japoneses comovem-se com o fim da Era Heisei e abdicação do Imperador

Japoneses comovem-se com o fim da Era Heisei e abdicação do Imperador

420
0
Eu vim para cá com gratidão, pois fiquei comovida com a atitude de Sua Majestade de não esquecer Okinawa, disse uma okinawana. Foto: R7

Com a era Heisei de 30 anos terminando, o então imperador Akihito se preparava para abdicar à meia-noite de terça-feira (30). Membros do público se lembraram das últimas três décadas e expressaram suas esperanças para a nova era a partir do dia seguinte.

Multidões visitaram o Palácio Imperial quando a chuva caiu sobre Tóquio e em várias partes do Japão. O imperador de 85 anos deu uma despedida final ao público em uma cerimônia no palácio às 17h, antes que seu filho mais velho, o então príncipe Naruhito, de 59 anos, aderisse ao trono na quarta-feira (1º).

“Eu queria ver o Palácio Imperial no último dia de Heisei”, disse Kiwako Toma, 44 anos, visitando o palácio da Prefeitura de Okinawa com seu filho de 9 anos.

Okinawa foi um dos campos de batalha mais sangrentos da Segunda Guerra Mundial, uma guerra que o Japão lutou em nome do pai do agora Imperador Emérito Akihito, o Imperador Hirohito, conhecido postumamente como Imperador Showa.

“Eu vim para cá com gratidão, pois fiquei comovida com a atitude de Sua Majestade de não esquecer Okinawa e continuar se preocupando com a população local”, disse Toma. O imperador emérito visitou a prefeitura um total de 11 vezes, incluindo viagens feitas quando ele era um príncipe herdeiro.

Guarda-chuvas na mão, os visitantes tiraram fotos comemorativas com câmeras e smartphones em frente à ponte Nijubashi dentro do palácio.

Miho Einaga, de 53 anos, da província de Hyogo, disse que foi afetada pelo Grande Terremoto de Hanshin, em 1995, que atingiu Kobe e áreas vizinhas, e perdeu parentes no grande terremoto e tsunami que devastou o nordeste do Japão em 2011.

“Houve uma série de desastres naturais, mas sinto que o imperador sempre cuidou de nós”, disse ela.

Gu Jie, 31 anos, que estava guiando um grupo de turistas de Xangai, disse: “Espero que na próxima época a China e o Japão se tornem amigos mais próximos”.

“(Heisei) está realmente terminando”, disse Akio Fumibuchi, 71 anos, na prefeitura de Osaka, enquanto olhava para a época. Ele foi outro atingido por um desastre natural, descrevendo como o telhado de sua casa havia sido destruído por um poderoso tufão no ano passado.

“Espero que não haja grandes desastres (na próxima época). E não devemos travar uma guerra”, acrescentou, desejando que os tempos de paz continuem.

Em Sendai, Yuka Hoshi, de 32 anos, lembrou ter visto o imperador emérito e imperatriz emerita visitarem áreas devastadas pelo terremoto de 2011. “A avó do meu marido estava quase chorando”, disse ela.

Em Sapporo, Yoshie Goto, 51, descreveu a Era Heisei como “tumultuada”, quando seu empregador, a Yamaichi Securities Co., faliu em 1997. “Quero que meu filho (de 23 anos) tenha força para sobreviver tempos difíceis “, que pode vir a caminho um dia, ela disse.

“O casal imperial foi um símbolo de 30 anos de paz”, disse Hiroshi Hisama, 56 anos, na província de Fukuoka. Ele expressou o desejo de que o imperador Naruhito se torne um imperador amado do povo.

Em Nagoya, uma trabalhadora de 25 anos que se identifica como membro de uma minoria sexual, relembrou a era Heisei como aquela em que “as pessoas se tornam tolerantes com a diversidade”.

No movimentado centro comercial e de entretenimento de Tóquio, Shibuya, a polícia está alerta para possíveis comportamentos desordeiros, já que a famosa travessia da área pode se tornar um ponto de encontro para os jovens celebrarem o início da nova era à meia-noite.

Grupos opostos ao sistema imperial da nação também tomaram as ruas.

Um grupo de cerca de 150 pessoas se reuniu perto da estação JR Shinjuku de Tóquio e pediu a abolição do sistema, argumentando que ter um imperador vai contra a igualdade legal garantida pela Constituição.

Alguns ativistas de direita tentaram interromper a manifestação, com a polícia antimotim mobilizada para impedir que eles se aproximassem dos manifestantes.

Fonte: KYODO

https://www.japantimes.co.jp/news/2019/04/30/national/people-look-back-heisei-express-hopes-new-era/#.XMhmB-hKjIU.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here