Tecnologia de investigação genética desenvolvida pela Polícia Civil do Rio ajudou a elucidar dois assassinatos de crianças no Estado: larvas que digerem restos mortais são analisadas e revelam o DNA de estupradores.

“Disseco as larvas, tiro o material do intestino delas e mando para a análise de DNA”, contou a perita criminal Janyra Oliveira-Costa, da polícia científica fluminense.

A aplicação dessa técnica de perícia virou tese de doutorado orientada por Janyra, que trabalha no IML (Instituto Médico Legal) do Rio.

A policial explicou a técnica, ela coloca larvas para ingerir pedaços de carne “contaminados” com sêmen. “Aí eu consigo encontrar o material genético do agressor dentro da larva”, explica.

A teoria foi aplicada na prática em dois casos de grande repercussão. O de uma criança de 6 anos morta em 2016 e o de uma garota de 11 anos assassinada em 2017.

As larvas foram tiradas dos canais vaginais das meninas e forneceram um perfil genético dos agressores.

Fonte: UOL

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2019/04/08/analisando-larvas-que-digerem-cadaver-policia-no-rj-acha-dna-de-criminosos.htm.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.