O canal de notícias Jiji compartilhou uma pesquisa realizada de 7 a 10 de junho, que mostra que 40% dos homens que trabalham em empresas não tiram licença paternidade. A pesquisa foi feita com cerca de 1,2 mil pessoas maiores de 18 anos, em todo o país.




 

Em relação a licença paternidade, existem os seguintes termos em algumas empresas:
 

  • 31,5% Possibilita a licença paternidade, mas o ambiente de trabalho da empresa não é favorável.
    • 13,9% Possibilita a licença paternidade e o ambiente de trabalho é favorável. 
    • 27,2% Não permite tirar a licença paternidade.
    • 17,1% trabalha autonomamente, logo não existe licença paternidade 

Os números demonstram a dificuldade de tirar a licença paternidade em algumas empresas japonesas. E mesmo quando possível, nem sempre o número de dias é suficiente: 
 

  • 9,6%: 2 a 6 dias
    • 8,5%: 6 meses a um ano
    • 7,7%: 2 a 5 meses
    • 2,4%: Mais de um ano
    • 1,3%: Apenas 1 dia 

 

O percentual não preenchido em cada item do levantamento, foram de pessoas que não sabiam ou não responderam à pesquisa. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.