Há diferentes métodos e técnicas para tentar guardar dinheiros. Os japoneses usam uma ferramenta que os ajuda na tarefa: o kakebo, que exige uma certa metodologia, mas não precisa de muitos recursos.

O kakebo é a palavra japonesa para definir “livro de contas domésticas”, e suas origens remontam a 1904, de acordo com Fumiko Chiba, autor do livro Kakebo: A arte japonesa de poupar dinheiro.

Você deve registrar suas despesas diárias ou semanais em diferentes categorias. Por exemplo: renda, despesas essenciais, lazer e extras. No fim do mês é só subtrair.

O kakebo é mais do que controlar o que você gasta é aprender a melhorar as finanças.

O ponto chave é colocar ênfase em coisas que não podem ser dispensadas e aprender a se livrar daquelas que não são gastos essenciais.

Para fazer isso, quando chega o momento de avaliar quanto, como e com o quê gastamos o dinheiro, precisamos fazer um balanço respondendo a quatro perguntas-chave:

Quanto dinheiro você guardou?

Quanto dinheiro você gostaria de guardar?

Quanto dinheiro você está realmente gastando?

O que você mudaria no próximo mês para melhorar?

Os defensores do kakebo dizem que, por ser um método manual, te deixa mais consciente de onde você gasta o dinheiro e força a pensar sobre quais são os seus objetivos para a sua poupança ser mais eficaz. A margem de economia, ele escreve, pode chegar a 35% da renda.

Fonte: Mundo-Nipo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.