O missô é uma das preciosidades do povo japonês, saiba as curiosidades envolvidas neste alimento milenar.




 

Algumas fontes afirmam que o missô originou-se na China há 2400 anos. No Japão foi introduzido no ano 600dc com forte influência do budismo que iniciava-se no país. A técnica de produção era diferente da atual e o nome dado na época era “shi”.

Monges budistas da Era Muromachi (1337 1573) criaram técnica para transformar o missô em forma de pasta, anteriormente a isso, o missô era similar ao “nattô”. O novo composto passou a ser chamado de “temae missô”, de fácil preparo difundiu-se pelo Japão.

O missô é feito a partir da fermentação do arroz, ceva e soja com sal. Uma vez pronta pode ser utilizado em diversos tipos de pratos da culinária japonesa:

  • missô shiru – sopa de missô com ingredientes (tofu, cebolinha, ovo, algas, ostra, etc.). O missô é diluído em água quente e cozido junto com os ingredientes;
  • missôzuke – conserva de vegetais (pepino, nabo, cenoura, etc.) a base de missô;
  • missôyaki – missô refogado para ser consumido junto ao arroz branco japonês;
  • missô lamen – lamen com mistura de missô na base.

A fermentação para a formação do missô ocorre graças ao fungo koujikin, o processamento do arroz acontece com a combinação de grãos de cevada, trigo que servem para dar um sabor único.

O missô uma vez pronto tem a aparência pastosa e sua cor tem variações conforme a forma que foi produzido.

Os tipos encontrados de missô são: shiro missô (missô de cor mostarda clara), shinshu missô, aka missô (missô de cor vermelho escuro), hachô missô, mugi missô. Nos mercados encontramos também o chousei missô, uma combinação do shiro missô com o aka missô, os dois mais consumidos.

A preferência do tipo é de acordo com a região do Japão. Em Kanto o shiro missô é o mais consumido, no entanto, em Kansai o hachô missô é o preferido. Na região de Tohoku o aka missô é preferido.

Em regiões mais frias a tendência é o consumo do missô de cor mais escura, gosto encorpado e mais salgado, é o caso de Tohoku. Em regiões na parte sul do Japão, devido a seu clima ameno, há a preferência pelo missô de cor clara, o shiro missô.

O Umami compõem o sabor do missô, misturando-se ao sabor um pouco adocicado, as vezes azedo, amargo e salgado. Contém aminoácido glutamato, induzindo a salivação, deixando um gosto duradouro e aveludado.

O missô além de saboroso é muito saudável, com alto valor nutricional, rico em enzimas, antioxidantes e minerais como manganês, zinco, fósforo e cobre, conta com a presença de proteína, fibra e vitamina B12. As bactérias probióticas encontradas no missô auxiliam na boa digestão e reduzem o risco de câncer.

Apesar do alto percentual de sódio, o consumo de missô reduz a pressão arterial, elimina o colesterol ruim e riscos de doenças cardíacas graças a alta concentração de isoflavonas. Os antioxidantes ajudam a eliminar os radicais livres protegendo membranas celulares contra o envelhecimento.

Depois de saber das qualidades do missô, falta você preparar o seu missô shiru. O missô pode ser adquirido em mercado japonês, além de alguns ingredientes que são utilizados em seu preparo. Veja o vídeo a seguir e saboreie o seu missô shiru!

Ingredientes (Serve 4 pessoas)

1 colher (sopa) de alga wakame desidratada picada
1 litro de água
2 colheres (chá) de dashi em pó
3 colheres (sopa) de pasta de miso
100 g de tofu cortado em cubinhos
2 ramos de cebolinha picados

Modo de preparo

Coloque a alga em um coador e deixe de molho em água fria por 10 minutos. Leve 1 litro de água para ferver com o “dashi” em uma panela. Junte a pasta de miso, misture para dissolver bem e adicione a alga em seguida. Ferva por cerca de 3 minutos. Divida o tofu entre 4 pratos de sopa ou cumbucas, coloque a sopa e sirva com a cebolinha picada por cima.

Fontes: Kyodo

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.