Funcionária do Aeroporto de Kansai é infectada com Ômicron

O Ministério da Saúde relatou na quinta-feira o primeiro caso da variante Ômicron do coronavírus no Japão além dos encontrados entre os recém-chegados do exterior.

A variante foi detectada em um funcionário em uma estação de quarentena do Aeroporto Internacional de Kansai, na província de Osaka.

A funcionária, na casa dos 30 anos, trabalhava em um alojamento para portadores do coronavírus, onde três pessoas com a variante haviam se hospedado, segundo o ministério.

“Há fortes suspeitas de infecção dentro das instalações”, disse o ministério, acrescentando que o funcionário não tem histórico recente de viagens ao exterior.

Ela teve diarreia em 8 de dezembro, mas continuou a trabalhar porque o sintoma era leve. Ela fez um teste de reação em cadeia da polimerase na segunda-feira, depois de apresentar sintomas como tosse e fadiga durante o trabalho no dia anterior.

Ela testou positivo para coronavírus no teste de PCR e mais tarde descobriu-se que tinha a cepa Ômicron na análise genômica.

Seu trabalho não envolveu contato direto com portadores de coronavírus.

Seis pessoas foram consideradas seus contatos próximos, todas trabalhando na mesma acomodação.

Os seis tiveram teste negativo. Nenhum deles desenvolveu sintomas de COVID-19.

Na instalação, a área para pessoas infectadas estava claramente separada da outra área. Os trabalhadores vestiram roupas de proteção e máscaras faciais de alto desempenho antes de entrarem em contato direto com pessoas infectadas.

“Apesar disso, a infecção aconteceu. Levamos isso a sério ”, disse um funcionário do ministério.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão Tóquio

Jonathan Miyata

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.