Início Destaques Japão Os chineses respeitam seus pais e os mais velhos

Os chineses respeitam seus pais e os mais velhos

457
0
Rika Kayama é psiquiatra e estuda a cultura chinesa. Foto: Youtube

Eu, Rika Kayama, psiquiatra, sou uma estudante da cultura chinesa. No outro dia, o tema abordado foi “como perguntar sobre os membros da família”

Quando o assunto surgiu, eu perguntei com grau de sarcasmo: “E se eu for perguntado se eu tenho um pai? O que devo responder no meu caso? Eu tenho um pai, mas ele não está aqui. Ele costumava estar aqui, mas agora ele já passou, eu acho”. O semblante do professor chinês, mostrou incômodo com o meu comentário. Disse “Na China, nunca faz piada com a imagem do pai ou mãe.”

Nos programas de variedades de televisão e outros programas no Japão, ocasionalmente há situações em que as celebridades dirão coisas ruins sobre seus pais que faleceram e riem, e para minha professora, isso foi aparentemente bastante perturbador. Quando pensei nisso, lembrei-me de ver em algum programa de TV que a China liderava a lista de países que mais respeitam seus pais. Enquanto a cultura como um todo dá importância ao respeito pelos idosos, foi relatado que os pais ocupavam um papel particularmente importante e no costume.

Quando se trata de pais que não estão mais conosco, provavelmente não é uma coisa tão boa falar mal deles ou transformá-los no alvo de uma piada. Mesmo se eles não fossem perfeitos, os pais tentaram ao máximo e viveram suas vidas ao máximo.

Eu sou grato ao meu professor por explicar o pensamento chinês para mim com um olhar severo, e no fundo do meu coração, eu pedi desculpas ao meu pai. Meu pai era um homem que amava piadas, então eu acho que em algum lugar no céu ele está rindo pelo meu senso de humor. Mas também acho que há algo a ser aprendido com a ideia chinesa de cuidar dos idosos e respeitar seus pais. Isso porque eu recentemente cheguei a desprezar as pessoas mais velhas por não conseguirem acompanhar a mais recente ciência e tecnologia e ficar para trás.

Daqui a cinco ou dez anos, terei ainda mais clareza nos anos de prata. Não quero dizer que quero ser respeitado, não importa o que possa fazer. Ainda assim, eu definitivamente ficaria feliz se aqueles ao meu redor me dessem algum grau de estima”. Mais uma vez, sinto que aprendi mais uma coisa das diferenças culturais entre o Japão e a China. (Por Rika Kayama, psiquiatra)

Fonte: Mainichi Shimbun

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here