153 visualizações 4 min 0 Comentário

Por que os filmes de Hollywood estão caindo em desuso no Japão?

- 23 de junho de 2023

Crédito: Japan Times – 23/06/2023 – Sexta

Hollywood já dominou as bilheterias japonesas. Em 1975, o estrondoso sucesso de “Tubarão” deu aos filmes não japoneses sua primeira participação majoritária no mercado japonês: 55,6%. E à medida que mais filmes dirigidos por efeitos de diretores como Steven Spielberg e George Lucas, e mais atores com superestrelas musculosos como Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger lotavam os cinemas locais, o domínio de Hollywood crescia.

O auge ocorreu em 2002, quando “Harry Potter e a Pedra Filosofal” liderou o ranking de bilheteria do ano e a participação no mercado de filmes estrangeiros atingiu o recorde de 72,9%, segundo dados compilados pela Motion Picture Producers Association of Japan (Eiren).

Quando comecei a fazer reportagens sobre a indústria cinematográfica japonesa no início dos anos 1990, pessoas de dentro da indústria me disseram que, com seus enormes recursos financeiros e técnicos e uma grande lista de estrelas internacionais, Hollywood era praticamente imbatível nas bilheterias domésticas – e provavelmente seria indefinidamente. Em vez de enfrentar esse gigante do entretenimento, os produtores japoneses jogaram nas margens demográficas onde os filmes locais ainda eram fortes: animação para as crianças e épicos de samurai para os velhos.

Mas em meados dos anos 2000, o veterano analista de bilheteria Hiroo Otaka começou a perceber uma tendência antes impensável: os filmes de Hollywood estavam caindo em desgraça com o público japonês, incluindo os jovens fãs que antes desprezavam a comida local como irremediavelmente sem graça. A confirmação veio com os números da Eiren para 2006: os filmes nacionais conquistaram uma participação de mercado de 53,2%, a primeira maioria desde 1985.

Em sua coluna mensal regular para Kinema Junpo, a revista de cinema mais antiga do Japão, Otaka acompanhou essa tendência de perto de 2006 até hoje. E embora sua coleção de colunas publicada recentemente cubra uma variedade de tópicos nos últimos 23 anos, seu título é “Amerika Eiga ni Ashita wa Aru Ka?” (“Os filmes americanos têm futuro?”)

“Os números agora são o inverso do que vimos em 2002”, Otaka me disse enquanto estava sentado em um café no subsolo no bairro de Yurakucho, em Tóquio. “No ano passado, a participação dos filmes estrangeiros era de cerca de 31%.”

Otaka acredita que vários fatores provocaram essa reversão da sorte – sendo um deles o declínio do Walt Disney Studios no mercado japonês. Os filmes live-action e de animação da Disney já disputaram a coroa de bilheteria ano após ano.

Foto: Japan Times (O letreiro de Hollywood é visto através de uma mistura de neblina e neve durante uma rara tempestade de inverno na área de Los Angeles em fevereiro. Os filmes americanos tiveram uma recepção um pouco fria no Japão nos últimos 20 anos, de acordo com o crítico Hiroo Otaka. | REUTERS)

Comentários estão fechados.