No dia 8 de abril, nasceu o fundador do budismo, Sakyamuni.
A partir deste dia, os seguidores do budismo de toda a Ásia, festejam a data regando imagens do Buda menino, com chá adocicado, numa festa chamada Hanamatsuri (festa das flores).

Até pouco tempo, essa festa era comemorada em São Paulo, na Praça da Liberdade, onde as crianças vestidas à caráter, desfilavam conduzindo a imagem de Buda. 




 

No budismo, ha vários tipos de personagens santos que são adorados pelo mundo inteiro, mas há um em especial, onde há mais cultivo de afeto: O Rakan, que é tão popular quanto a imagem de Kannon (deusa da misericórdia) e Jizoo (divindade protetora).

Rakan, que é uma abreviação de Arakan (um tratamento respeitoso para aqueles que alcançaram a iluminação), não possui uma imagem definida. Por vezes é feio e bonito, triste e feliz. Enfim. Os discípulos de Buda gostavam de ver Rakan como seus entes queridos que se foram.
Numa época onde não existiam fotografias, Rakan representavam imagens de familiares, namorados, sendo um local gratificante, onde todos poderiam rememorar as pessoas mais queridas.

Reza a lenda que ao passar a mão na cabeça de 500 Rakans, um deles irá emitir um calor que transmitirá para a sua mão.
Aquele Rakan é o que mais se parece com os pais de quem sente.

 

via: nippobrasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.