As lágrimas de alegria foram impossíveis de conter na segunda-feira para o filho de 8 anos de idade do curdo Mehmet Colak, que foi libertado no dia seguinte à detenção por 17 meses na Tokyo Regional Detention House.




 

Colak, de 39 anos, chegou ao Japão em 2004 depois de fugir da Turquia. Ele pediu o status de refugiado quatro vezes, mas todos esses pedidos foram recusados, sendo o mais recente recusado na segunda-feira.

Para evitar permanecer no Japão ilegalmente, depois de um visto de curto prazo que ele tinha, ele Colak solicitou o status de liberação provisória.

O status proibiu Colak de deixar fisicamente a Prefeitura de Saitama, onde ele estava morando com sua esposa e três filhos, mas a família conseguiu permanecer no Japão.

O programa de liberação provisória também não permite que solicitantes de refúgio trabalhem como podem sob os vistos temporários normalmente concedidos àqueles que não viram o pedido de refúgio recusado. Sem renda, a família vinha recebendo ajuda de parentes que podem trabalhar legalmente no Japão.

Durante a sua detenção, ele desenvolveu problemas de saúde significativos, incluindo dores no peito e enxaquecas severas. Em março, sua condição se deteriorou repentinamente e ele começou a sofrer convulsões.

A libertação de Colak foi repentina e inesperada, e nenhuma razão foi dada para a mudança.

Seu advogado, Takeshi Ohashi, disse que as autoridades de imigração afirmaram que havia várias razões para a decisão, mas que elas não poderiam ser divulgadas. Como condição para sua libertação, a família pagou uma fiança de ¥ 100.000.

Fonte: JIJI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.