Homens em cargos gerenciais ou ocupações profissionais no Japão têm uma taxa de mortalidade maior do que suas contrapartes na Europa, de acordo com um estudo científico publicado no final de maio.




 

O estudo foi conduzido em homens que tinham entre 35 e 64 anos no período de 1990 a 2015 no Japão, Coréia do Sul e oito países europeus, incluindo Dinamarca e Suíça, por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Tóquio e institutos europeus.

As descobertas, relatadas no Journal of Epidemiology & Community Health, disseram que a taxa de mortalidade de “trabalhadores não-manuais superiores” aumentou no Japão na segunda metade da década de 1990, após o colapso da economia de bolha inflada por ativos. A tendência foi possivelmente devido a mudanças em seus ambientes sociais e de trabalho – como ter que trabalhar em cargos duplos, como gerente e trabalhador, após a reestruturação, por exemplo, de acordo com o relatório.

A crise econômica viu os gerentes e a classe profissional perderem a capacidade de decisão, sofrendo mais estresse psicológico e aumentando a carga de trabalho, enquanto as horas extras para a maioria das outras ocupações diminuíram, segundo o estudo.

Câncer fez a maior contribuição para o aumento da mortalidade nesta categoria ocupacional, com o suicídio também faturando pesadamente.

O artigo também se referiu a estudos prévios que sugeriam demandas pesadas de trabalho e longas jornadas de trabalho, o que dificultava que os trabalhadores dessem tempo para os exames de saúde.

Fonte: KYODO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.