Uma pesquisa, realizada pela pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que teve a participação de 7.289 pessoas, revelou que a média de horas de trabalho dos professores do ensino médio no Japão são as mais longas, entre 48 países.




 

A pesquisa foi realizada de fevereiro a março de 2018, com questionários enviados a 3.568 professores do ensino médio, 3.321 professores do ensino fundamental e cerca de 400 diretores.

De acordo com as pesquisas, os professores do ensino médio no Japão trabalham 56 horas por semana, em média, em comparação com uma média de 38,3 horas por semana entre todos os participantes da “Pesquisa Internacional de Ensino e Aprendizagem 2018”.

Da mesma forma, os professores do ensino fundamental no Japão trabalharam 54,4 horas por semana, mais em média do que seus pares em 15 países e economias pesquisadas.

O Ministério da Educação do Japão decidiu em janeiro cobrir as horas extras dos professores em 45 horas por mês, ou 360 horas em 12 meses.

As novas diretrizes curriculares do Japão promovem um aprendizado mais profundo através de meios independentes e interativos, mas a porcentagem de professores do ensino médio que freqüentemente ou sempre deram “tarefas que exigem que os estudantes pensem criticamente” foi de 12,6%, a mais baixa e muito distante da média de 61%. entre todos os países pesquisados

Além disso, apenas 16,1% dos professores no Japão apresentaram “tarefas para as quais não há solução óbvia” em comparação com a média de 37,5% entre todos os países pesquisados.

Fonte: OCDE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.