No dia 9 de junho, o governo brasileiro, concordou em realizar ensaio clínico para auxiliar na produção da vacina contra o coronavírus. A vacina está sendo desenvolvida em parceria com o Reino Unido, da Universidade de Oxford e a AstraZeneca.

A partir da próxima semana, 2000 ensaios clínicos serão realizados, incluindo pessoal médico nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.
No Brasil, o número de pessoas infectadas com o novo coronavírus é o segundo mais alto do mundo após os Estados Unidos.

Enquanto isso, em 12 de junho, a Sinovac Biotech (São Xing Biotechnology) firmou uma parceria com o fabricante brasileiro de medicamentos Buttantan Institute para conduzir um ensaio clínico de Fase 3.
Uma vez aprovada pelas autoridades brasileiras, a Sinovac Biotech começará os ensaios clínicos em julho com 9.000 voluntários.
O Instituto Butantan planeja iniciar a produção da vacina até junho de 2021 sob a licença da Sinovac, passando assim a fornecer ao Brasil.
Existem 10 vacinas em fase de pesquisa, dos quais metade estão sendo desenvolvidos na China. É necessário que milhares de pacientes participem do estudo de fase 3, mas esta necessidade poderá não ser atendida devido à diminuição de voluntários com a infecção na China.

O Instituto Butantan é um centro de pesquisa de cobras venenosas mundialmente famoso.
O governador Dória, do estado de São Paulo, disse em entrevista coletiva: “É um dia histórico para a ciência mundial, Brasil e São Paulo”.
Até o momento a Europa, os Estados Unidos e o Japão lideravam no quesito desenvolvimento de novos medicamentos da indústria farmacêutica. Nos últimos anos a China aumentou drasticamente sua capacidade de pesquisa e desenvolvimento de novos medicamentos.

Portal Mundo-Nipo
Brasil São Paulo
Sergio Watanabe

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here