101 visualizações 4 min 0 Comentário

9 palestinos (Hamas e empresários) tiveram contas congeladas

- 1 de novembro de 2023

O Japão decidiu na terça-feira congelar os bens de nove indivíduos, incluindo membros do grupo militante palestino Hamas, e uma empresa relacionada, impondo sanções à organização em meio à sua guerra com Israel.

As medidas punitivas são as primeiras impostas pelo Japão desde que o Hamas lançou um ataque a Israel em 7 de outubro, desencadeando um conflito em grande escala entre o Estado judeu e o grupo islâmico.

O Japão acusa as pessoas sujeitas ao congelamento de bens de estarem envolvidas na angariação de fundos para o Hamas, segundo um funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

As medidas, implementadas com efeito imediato, seguem-se a sanções semelhantes impostas pelos Estados Unidos em meados de outubro contra os indivíduos e a empresa.

O secretário-chefe do Gabinete, Hirokazu Matsuno, disse em entrevista coletiva que o Japão continuará a considerar a imposição de sanções adicionais “do ponto de vista de lidar com a arrecadação de fundos para o terrorismo”.

As nacionalidades dos nove homens são palestinas, sudanesas, egípcias e jordanianas, sendo que um deles tem dupla nacionalidade da Turquia e da Jordânia, disse o ministério.

Eles são membros-chave do Hamas, agentes e facilitadores financeiros, de acordo com o Departamento do Tesouro dos EUA.

A empresa, chamada Buy Cash Money and Money Transfer Company, é uma empresa sediada no enclave palestino da Faixa de Gaza que fornece serviços de transferência de dinheiro e câmbio virtual, disse o Departamento do Tesouro dos EUA.

Enquanto isso, a ministra das Relações Exteriores, Yoko Kamikawa, disse na terça-feira que visitará Israel e possivelmente outros países do Oriente Médio ainda esta semana.

“Vou me comunicar com as nações relacionadas e continuarei nossos esforços diplomáticos para melhorar a situação”, disse Kamikawa durante uma reunião do comitê da Câmara Alta na terça-feira. “A principal prioridade neste momento é melhorar as condições humanitárias”, disse ela.

Estão sendo tomadas providências para que Kamikawa visite também a Jordânia, disse uma fonte do Ministério das Relações Exteriores.

O Japão prometeu fornecer 10 milhões de dólares em ajuda humanitária de emergência à Faixa de Gaza, um enclave palestino governado pelo grupo islâmico.

A visita de Kamikawa a Israel será a primeira de um ministro japonês desde o ataque surpresa de 7 de outubro pelo Hamas. A guerra já ceifou milhares de vidas palestinas e israelenses.

O Japão mantém há muito tempo relações amistosas com muitos países do Oriente Médio. Kamikawa, que assumiu o cargo em setembro, disse que a estabilidade na região é crucial para o Japão, que é altamente dependente das importações de petróleo bruto.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.