123 visualizações 5 min 0 Comentário

Iene Japonês em Queda, Como a Economia dos EUA Impacta o Mercado Asiático

- 27 de março de 2024

O Efeito Dólar: Análise da Força Americana no Mercado de Câmbio. A dinâmica entre o dólar forte e as moedas asiáticas explicada.

TOQUIO, JAPÃO – Na sessão asiática de ontem, o dólar subiu face aos dados econômicos mais fortes provenientes dos Estados Unidos, impulsionando o iene japonês para o nível mais fraco em 34 anos e aproximando-se da zona que levou à intervenção oficial do mercado em 2022.

O iene foi negociado a 151,97 por dólar, uma queda de cerca de 0,2% e mais fraco do que 151,94, onde as autoridades japonesas intervieram durante outubro de 2022 para comprar a moeda e o seu nível mais fraco desde meados da década de 1990.

Para o trimestre que termina no final desta semana, o iene é o principal com pior desempenho, caindo mais de 7% em relação ao dólar, mesmo depois da saída do Japão na semana passada das taxas de juro negativas.

As autoridades têm feito alertas quase diários contra movimentos especulativos e os mercados estão nervosos com um teste de 152 por dólar, já que o ministro das Finanças, Shunichi Suzuki, disse que o Japão não descartará quaisquer medidas se achar que o iene está caindo muito rápido.

“O mercado é muito sensível à zona 152”, disse o estrategista do National Australia Bank, Rodrigo Catril.

“Se quebrarmos esse nível, a história recente sugere que a intervenção seria muito mais provável.”

O legislador do BOJ, Naoki Tamura, disse ontem que o banco central deve avançar lentamente e consistentemente em direção à normalização das suas políticas, o que parece dar ao iene um pequeno empurrão para enfraquecer.

Esta medida elevou o dólar em larga escala, com o yuan chinês e o dólar neozelandês sendo vendidos perto dos mínimos de quatro meses.

O yuan enfraqueceu para 7,2285 por dólar CNY=CFXS, apesar de uma forte fixação da sua banda de negociação pelo banco central. O dólar da Nova Zelândia caiu 0,2% para US$ 0,5988. O Tesouro da Nova Zelândia revisou em baixa as suas previsões de crescimento económico ontem.

Os dados australianos publicados na manhã de hoje mostraram que a inflação manteve-se no mínimo de dois anos, 3,4%, em Fevereiro, reforçando as apostas do mercado de que o próximo movimento nas taxas de juro seria a descida. O australiano AUD=D3 caiu 0,3% para US$ 0,6515.

A queda foi de 4,4% no trimestre. Outros movimentos na Ásia foram mantidos sob controle, enquanto os mercados aguardavam a divulgação, na sexta-feira, dos dados do núcleo da inflação dos EUA.

Os dados publicados na noite passada mostraram um salto maior do que o esperado nas encomendas de bens duráveis ​​nos EUA em Fevereiro. Embora isso tenha compensado apenas parcialmente a grande queda em janeiro e acompanhado de dados abaixo da média sobre a confiança do consumidor, elevou um pouco o dólar.

O euro EUR=EBS, a 1,0825 dólares, está mais ou menos no meio de um intervalo que manteve durante um ano e caiu 1,9% num trimestre em que as expectativas de cortes nas taxas dos EUA foram reduzidas.

O franco suíço CHF=EBS, ainda a recuperar de um corte surpresa na taxa na Suíça na semana passada, caiu cerca de 0,5% em relação ao dólar, para um mínimo de quatro meses de 0,9042 durante a noite.

Caiu cerca de 7% no primeiro trimestre do ano. O índice do dólar americano =USD subiu 3% no trimestre, para 104,4.

A libra esterlina = D3 permaneceu estável em US$ 1,2621 e também permaneceu estável no trimestre, caindo apenas 0,8%.

Na terça-feira, a deputada do Banco de Inglaterra, Catherine Mann, disse que mudou de ideias ao votar pela manutenção das taxas na semana passada, em vez de um aumento, devido ao facto de os consumidores se terem tornado mais mesquinhos. Mas ela ainda acredita que os mercados financeiros têm muitos cortes previstos.

Logotipo Mundo-Nipo
Autor

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio
contato@mundo-nipo.com.br

Comentários estão fechados.