ativista Joshua Wong, que se tornou o rosto da democracia em Hong Kong, saiu da prisão na segunda-feira e prometeu se juntar a um movimento de protesto em massa exigindo que a líder da cidade, Carrie Lam, seja demitida.




 

Os organizadores do protesto disseram que quase 2 milhões de pessoas compareceram no domingo para exigir a renúncia de Lam, no que está se tornando o desafio mais significativo para o relacionamento da China com o território desde que foi devolvido pela Grã-Bretanha há 22 anos.

Alguns manifestantes limparam o lixo depois da marcha, enquanto outros cantaram “Aleluia”, uma canção gospel que se tornou o hino não oficial dos manifestantes contra Lam.

Fonte: REUTERS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.