Desde a abertura para estagiários de povos do leste asiático, os vietnamitas cresceram em números assustadores como imigrantes trabalhadores no Japão. Em um período estimado de 16 anos, o Japão passou a acolher uma população de 400.000 vietnamitas, todos no regime de estagiários em fábricas japonesas.

A grande vantagem dos vietnamitas estava em desembarcar no Japão certificado no Nível 4 do Exame de Proficiência da Língua japonesa, impossibilidade de mudança de serviço durante a vigência do visto japonês de trabalho e a dedicação no trabalho dos primeiros vietnamitas imigrantes.

Com o aumento dos cidadãos vietnamitas, problemas culturais passaram a se tornar frequentes:

  • furto de patos em lagos para fins de alimentação;
  • furto de carpas em rios para fins de alimentação;
  • furtos de frutas e hortaliças de agricultores da região com vietnamitas;
  • problemas de comportamento durante o trabalho.

O último item tem incomodado muito os empregadores. Quando um dos operários vietnamitas são convocados para uma simples conversa, os demais operários vietnamitas deixam seus postos de trabalho para participar da conversa, mesmo não sendo chamados. Coisas do tipo: “o que será dito ao meu companheiro é de interesse de todos”.

Problemas destas naturezas tem diminuído o interesse dos Contratantes pelos vietnamitas.

Apesar deste cenário, “nikkeis” não devem comemorar a situação, pois tão logo seja contornado a pandemia de Covid-19, vistos de trabalhadores não descendentes de todo o mundo passará a ser emitido. Mas este assunto ficará para a próxima postagem.

Portal Mundo-Nipo

Jonathan Miyata

Sucursal Japão Tóquio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.