525 visualizações 2 min 0 Comentário

Acadêmicos protestam contra detenção de professor japonês na China

- 31 de outubro de 2019
Carta de protesto

[faceturbo]
Um grupo de acadêmicos japoneses demonstraram profunda preocupação após a recente detenção de um colega que trabalhava na China. 
 

As autoridades japonesas informaram que um homem, na faixa de 40 anos de idade, havia sido levado em custódia no mês passado, enquanto visitava a capital Pequim. 

O professor, que atuava na Universidade de Hokkaido, era um especialista em história da china e foi a convite do país, para ensinar na Academia de Ciências Sociais Chinesa.
[/faceturbo] 
 




 

O grupo que inclui o professor emérito da Universidade de WasedaSatoshi Amako, e o professor da Universidade de HoseiMasaharu Hishita, divulgaram uma declaração nesta terça-feira.  

Na declaração, os professores disseram que foi um grande choque e um alerta que pode comprometer acadêmicos em intercâmbio, mencionando que o cancelamento de viagens à China havia se espalhado entre os pesquisadores. 

A declaração também pedia que as autoridades chinesas revelassem detalhes da causa da detenção.  

Até o momento, as informações obtidas é que o homem supostamente teria violado uma lei chinesa, porém não há provas expostas.  

Nos últimos cinco anos, cerca de 13 professores japoneses foram detidos na China, dentre eles, 9 foram denunciados por suspeita de espionagem. 

Leia também:  Exibição de documentário sobre “mulheres de conforto” tem causado polêmica em festival  

Mundo-nipo: O principal portal de notícias do Japão