Início Japão Cotidiano Empresas contratantes deverão arcar com custos de retorno de trabalhadores estrangeiros

Empresas contratantes deverão arcar com custos de retorno de trabalhadores estrangeiros

222
0
As novas regras será para aceitar mais trabalhadores estrangeiros para aliviar a escassez de mão de obra. Foto: Coisas do Japão

TÓQUIO (Jiji Press) – O governo japonês pretende obrigar as empresas que contratam pessoas estrangeiras com novos vistos de trabalho, planejar custos para repatriação caso não possua recursos ao fim do  contrato, disseram autoridades.

O movimento vem em resposta às preocupações de que a introdução dos novos vistos de trabalho, aumentará o número de residentes estrangeiros ilegais no Japão e agravará a situação de segurança do país.

As revisões da lei de controle de imigração estão agora sob deliberação no parlamento para apresentar os novos vistos em abril do próximo ano.

O movimento é projetado para o país aceitar mais trabalhadores estrangeiros, e aliviar a escassez de mão de obra.

O governo estima que até 345.000 trabalhadores estrangeiros chegarão ao Japão sob o novo sistema em cinco anos.

Sob o novo sistema, as empresas que contratam trabalhadores estrangeiros com os novos vistos serão obrigadas a celebrar contratos com eles para garantir os mesmos níveis ou salários mais altos que os seus congêneres japoneses, entre outros.

O governo planeja emitir um decreto que encoraje essas empresas a separar uma certa quantia de dinheiro para pagar o custo de envio de trabalhadores estrangeiros de volta para casa após o vencimento de seus contratos, se eles não puderem pagar pelas viagens.

O número de residentes estrangeiros ilegais no país era de 69.346 em 1º de julho.

Para tratar de tais preocupações de segurança, o governo também planeja excluir países que se recusam a pegar de volta seus próprios cidadãos deportados do Japão da lista de nações elegíveis para os novos vistos.

O governo pretende aprovar as revisões da lei de imigração durante a atual sessão parlamentar conjunto para terminar em dezembro 10.

Fonte: Yomiuri Shimbun

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here