Dados do governo nesta sexta-feira (19) mostraram que os principais preços no Japão subiram em 0,6% em relação ao ano passado. O ritmo de crescimento foi o mais lento em quase dois anos devido à queda dos preços no petróleo. 

O núcleo do índice de preços ao consumidor, excluindo os preços voláteis de alimentos in natura, aumentou pelo trigésimo mês consecutivo, após a inflação de 0,8% em maio, de acordo com o Ministério de Assuntos internos e Comunicações. 

Essa inflação já vinha crescendo nos últimos meses devido ao aumento dos custos com energia. 




 

Porém os preços da gasolina caíram em 2,7% em junho, em relação ao ano passado. Este é o primeiro declínio em quatro meses. 
 

Os temores com as crescentes tensões entre os EUA e a China pesaram sobre os preços do petróleo bruto. 

Devido a isso, as principais empresas japonesas estavam relutantes em aumentar os salários devido à incerteza sobre economia global, visto as tensões comerciais entre Washington e Pequim e a incerteza se a desaceleração econômica continuará. 

Takeshi Minami, economista-chefe do Instituto de Pesquisa Norinchukin disse que parece difícil esperar que o ímpeto ascendente dos preços atinja as metas de 2% do BDJ com o programa de educação gratuito do governo, que começa em outubro, a fim de limitar ainda mais a inflação do país. 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.