397 visualizações 3 min 0 Comentário

Kasuhara: Twitter e o assédio sofrido pelos funcionários ferroviários

- 10 de fevereiro de 2020
670 casos de violência contra funcionários da estação foram registrados no ano fiscal de 2018.

É comum lembrar dos funcionários ferroviários, como pessoas respeitosas, que nunca se atrasam e estão sempre dispostos a orientar todos os passageiros de forma útil, através das várias plataformas ao redor de Tokyo. 

Entretanto, por dentro de cada um, ainda parece existir um lado sombrio de suas personalidades. 

Para se ter uma ideia da proporção, é só pesquisar através das redes sociais, algum tema relacionado à trabalho ferroviário e você poderá esbarrar em algumas postagens contundentes no Twitter, enquanto eles discutem sobre o lado estressante do seu trabalho: o kasuhara (assédio dos clientes). 

Contas anônimas criadas no Twitter, que se identificam como funcionários ferroviários, estão cada vez mais presentes no Japão, mostrando que muitos entraram na plataforma em meados de 2019. 

“Eu estava procurando uma maneira de desabafar sobre o meu trabalho de forma anônima e aumentar a conscientização sobre os aspectos pouco conhecidos de nossos empregos como funcionários da estação de trem”, disse um usuário do Twitter com o identificador @stsf_psn ao TheJapan Times. 

Em muitos de seus tweets, podemos ver uma ampla gama de publicações em que os desabafos possuem temas descritos como “clientes monstros” – um termo que se refere a clientes muito exigentes e irracionais. 

“Recebi passageiros que exigem que paguemos suas viagens de táxi porque os trens que planejavam pegar foram suspensos”, escreveu @stsf_psn. 

Um outro usuário do Twitter chamado @Black_railway, alegava que um funcionário também lhe contava vários casos de assédio. 

“É importante que as pessoas entendam, que somos apenas funcionários, não somos oniscientes”, disse ele ao Japan Times. 

“Muitas pessoas se aproximaram de mim e dizem: ‘Ei, eu preciso ir a esta loja, mas não sei onde é ou qual é a estação mais próxima. Diga-me como chegar lá ‘”, escreveu ele. “Mas, sério … como eu saberia?” 

De acordo com o ministério do transporte, 670 casos de violência contra funcionários ferroviários foram relatados no ano fiscal de 2018, incluindo relatos em que funcionários foram agredidos, empurrados e até cuspidos.  

Leia também: Mais 60 pessoas a bordo do cruzeiro apresentaram teste positivo 

Mundo-nipo: O principal portal de notícias do Japão