216 visualizações 4 min 0 Comentário

Kyoto Implementa Restrições para Proteger o Distrito Histórico de Gion e Suas Gueixas

- 8 de março de 2024

Acesso Restrito em Gion: Uma Medida Necessária para Salvaguardar a Herança Cultural. Entenda a importância das novas regras que permitem a Gion manter sua autenticidade e encanto

Kyoto, uma cidade repleta de história e cultura no Japão, está tomando medidas drásticas para preservar a integridade do seu famoso distrito de Gion, conhecido mundialmente pelas tradicionais casas de chá e a presença das enigmáticas gueixas, ou “geiko”, como são chamadas localmente, e suas aprendizes, as “maiko”. Este movimento vem em resposta ao crescente descontentamento dos moradores com o comportamento invasivo de turistas, exacerbado pelo aumento do turismo pós-pandemia.

A situação no distrito de Gion, um símbolo da herança cultural de Kyoto, atingiu um ponto crítico, levando os residentes a apelar à administração da cidade por soluções. Relatos de desrespeito, incluindo um incidente em que o quimono de uma maiko foi danificado e outro envolvendo comportamento inapropriado com uma bituca de cigarro, ilustram a urgência da questão. Como resultado, a partir de abril, os visitantes serão proibidos de adentrar as vielas privadas de Gion, numa tentativa de mitigar os impactos negativos do turismo excessivo.

Isokazu Ota, um membro influente do conselho distrital de Gion, expressou a difícil decisão de restringir o acesso às estreitas e charmosas ruas do bairro, enfatizando a instalação de cartazes informativos para orientar os turistas. A medida visa proteger tanto a privacidade dos residentes quanto a experiência autêntica que Gion oferece. A principal via pública de Gion, a rua Hanamikoji, continuará acessível, garantindo que visitantes ainda possam apreciar a beleza do distrito sem invadir espaços privados.

O comportamento dos turistas, comparado ao dos paparazzi, especialmente em momentos em que gueixas e maikos transitam pelas estreitas vias, motivou a imposição de regras mais rigorosas, incluindo a proibição de fotografias em áreas restritas, sob pena de multas significativas. A importância de esclarecer que gueixas são artistas e contadoras de histórias, mestras em danças tradicionais japonesas, instrumentos musicais e jogos, é crucial para combater equívocos e promover o respeito pela cultura local.

Além de Gion, outras atrações no Japão estão adotando medidas para controlar o fluxo de visitantes e preservar a qualidade da experiência turística. Um exemplo notável é a cobrança de uma taxa para os caminhantes que desejam percorrer a rota mais popular do Monte Fuji durante o verão, visando reduzir o congestionamento e aumentar a segurança.

Essas iniciativas refletem um esforço maior para equilibrar o turismo e a preservação cultural no Japão, assegurando que tanto residentes quanto visitantes possam desfrutar e respeitar a rica herança do país. A abordagem de Kyoto ao desafio do turismo excessivo em Gion pode servir de modelo para outras regiões que enfrentam dilemas semelhantes, destacando a importância de proteger os tesouros culturais para as futuras gerações.

Comentários estão fechados.