103 visualizações 5 min 0 Comentário

Mena Kato, ex-Sony PlayStation irá reerguer a Xbox no Japão

- 13 de dezembro de 2023

A Microsoft está apostando que Mena Kato – uma veterana do PlayStation que cresceu jogando clássicos da Nintendo como Donkey Kong – a ajudará a finalmente entrar no terceiro lugar no mercado de jogos do mundo.

Ao longo de duas décadas, Kato ajudou a transformar o console do Grupo Sony em uma presença dominante na indústria de jogos com o PlayStation. Desde julho, ela assumiu uma tarefa muito mais difícil: vender o Xbox para estúdios que confiam na Sony e na Nintendo. Ela conta com suas habilidades de negociação, o alcance global da Microsoft e suas próprias conexões locais para finalmente tornar o Xbox um player relevante.

O novo diretor de parcerias da Microsoft no Japão está tentando reverter anos de fracasso. A pesquisadora de mercado Famitsu estima que o Xbox vendeu pouco mais de 500 mil unidades de seus consoles mais recentes no Japão, muito menos do que os 31 milhões de vendas do Switch da Nintendo ou dos 4,8 milhões de unidades do PlayStation 5. Mas ela ainda vê espaço para o crescimento de um terceiro jogador.

A unidade Xbox, liderada por Phil Spencer, tem intensificado sua incursão na terceira maior economia do mundo, com o executivo dizendo em setembro que os jogadores podem esperar títulos japoneses de primeira linha como exclusivos do Xbox no futuro. Sua empresa ficou atrás dos pilares da Sony e da Nintendo, mas Kato traz a experiência local e as conexões que há muito cobiça. A executiva disse que foi abordada pela Microsoft diversas vezes antes de finalmente concordar em ingressar.

Kato imediatamente se torna um dos executivos de Xbox de maior destaque da Microsoft no Japão, e sua principal função será orientar o diálogo com os criadores locais e liderar novas iniciativas. Ela disse que aceitou o cargo porque queria preencher melhor a lacuna entre o Japão e o resto do mundo. Ela está trabalhando ao lado da presidente do Xbox, Sarah Bond, uma das várias executivas seniores da Microsoft, o que Kato disse “foi uma surpresa que me deixou feliz quando entrei na empresa”.

Entre suas funções, Kato mantém conversas diárias com estúdios de jogos locais e transporta feedback para a sede da Microsoft em Redmond, Washington, sobre tópicos tão básicos como tradução de documentação de desenvolvedores ou tão em larga escala como campanhas promocionais globais para impulsionar novos títulos.

O Xbox perdeu a confiança dos estúdios japoneses durante a era do Xbox One, pois a empresa não considerava o Japão um mercado importante. Spencer disse que essa abordagem foi equivocada e fez um esforço deliberado para visitar o país com mais frequência, participando do Tokyo Game Show este ano. Ele também fez uma aparição surpresa no evento da Square Enix Holdings em julho para apertar a mão do presidente da editora japonesa, Takashi Kiryu.

“A Microsoft oferece enorme escalabilidade para os editores japoneses, já que praticamente não há país sem PCs com Windows”, disse Kenji Fukuyama, analista da UBS Securities. “Quando se trata de acesso a fãs de jogos em países emergentes, a Sony e a Nintendo simplesmente não conseguem competir com o Xbox.”

A Microsoft será um bom parceiro para a maioria das editoras japonesas num momento em que elas tentam aumentar os lucros lançando jogos em países emergentes através de computadores pessoais, acrescentou. A Capcom, empresa de desenvolvimento de jogos com melhor desempenho do país neste ano, aproveitou exatamente essa estratégia ao relançar seus títulos clássicos – a um custo marginal insignificante – em PCs em mercados que nunca tiveram acesso a eles.

Kato não espera que as negociações com os parceiros sejam fáceis e prevê que serão necessárias muitas adaptações para que a Microsoft aumente a sua relevância na indústria de jogos japonesa.

“Enfrentamos um desafio e isso significa que ainda há muitas coisas que podemos e devemos mudar”, disse ela.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.