750 visualizações 3 min 0 Comentário

Professor de inglês é demitido de escola japonesa após expor órgãos

- 31 de outubro de 2019
Professor ensinando em sala de aula

[faceturbo]Nesta semana, um professor de língua inglesa, de 29 anos, foi demitido de uma escola secundária, na província de Saitama, após diversas acusações de conduta imprópria com os alunos.  

De acordo com o Conselho de Educação da Prefeitura de Saitama, o homem que não foi identificado pelas fontes, estava em seu terceiro ano de trabalho, em uma escola ao leste de Saitama, quando agiu de maneira inadequada com os alunos em três ocasiões distintas. 




 

No dia 21 de abril, um estudante do sexo masculino foi à sala de preparação do professor depois das aulas, para praticar sua conversação em inglês, quando o professor pegou o seu telefone para mostrar ao aluno fotos da sua cidade natal, quando de repente mostrou-lhe uma foto dos órgãos genitais de uma mulher.  

No dia 21 de agosto, durante o período de férias escolares, uma aluna estava estudando na sala da de aula, quando o professou entrou. Os oficiais disseram que a amiga da menina saiu da sala e o professou iniciou um assunto sobre cozinhar. Ele sacou o smartphone para mostrar fotos de algumas de suas refeições, quando de repente mostrou-lhe também fotos de órgãos genitais de um homem.  

Uma semana depois, a mesma garota, estava em sala de aula, quando o professor iniciou uma conversa casual. Em meio às falácias, o mesmo deixou as suas chaves caírem e, ao levantar após pega-las, sua calça caiu, expondo metade dos seus órgãos genitais. A garota entrou em choque, então o homem saiu da sala correndo e pediu desculpas. 

No dia 29 de agosto, a aluna contou a uma de suas professoras os traumas que havia sofrido. De acordo com a vítima, o homem não parecia usar nada por debaixo das calças quando elas caíram. 

Ao ser questionado, o professor disse não lembrar-se do ocorrido. 

Mediante os casos contados pelas vítimas, o professor foi demitido da escola e não houve relatos de prisão. 

A empresa na qual era responsável pela contratação do acusado, também não foi revelada. 

Leia também:  Acadêmicos protestam contra detenção de professor japonês na China

Mundo-nipo: O principal portal de notícias do Japão [/faceturbo]