209 visualizações 3 min 0 Comentário

Tesouro Era Kamakura (1185-1333) foi descoberta em Maebashi

- 24 de novembro de 2023

Arqueólogos japoneses desenterraram em meio a escavações prévias à construção de uma fábrica na cidade de Maebashi, província de Gunma, no Japão, um impressionante tesouro com cerca de 100 mil moedas. Até o momento, somente pouco mais de 300 delas foram analisadas, mas já foi constatado que os objetos são datados de diferentes épocas e até mesmo regiões.

O tesouro foi encontrado em um total de 1.060 maços, cada qual contendo cerca de 100 moedas, de acordo com o jornal japonês The Asahi Shimbun. Delas, porém, apenas 334 foram examinadas profundamente, o que permitiu constatar que, até agora, a mais antiga delas é originária da China e datada de 175 a.c., com a inscrição em chinês “Banliang” (“meia onça”, em português) — a mais recente, por sua vez, é do ano 1.265.

Vale mencionar que por todo o Japão vários tesouros semelhantes já foram descobertos, mas a razão pela qual o achado recente foi enterrado ainda é incerta para os pesquisadores. Ao Live Science, o professor emérito de história japonesa na Universidade do Havaí em Mānoa, William Farris, afirma acreditar que o tesouro tinha a função de banco no passado. Outra teoria é que o acúmulo tinha um significado simbólico, possivelmente religioso”, embora acredite mais na hipótese do banco.

Origem do tesouro

De acordo com o Live Science, por mais que ainda não se saiba exatamente quando e por quem o tesouro foi enterrado, isso pode ser descoberto com o tempo. A moeda mais recente — de acordo com as já analisadas —, de 1.265, sugere que os bens foram enterrados pouco após esse ano.

Essa época, dentro dos períodos históricos do Japão, é caracterizada como Era Kamakura (1185 a 1333), quando acontecia ali o primeiro regime militar feudal japonês, ou xogunato. Segundo William Farris, a localização e o período do tesouro “sugerem que os depositantes eram guerreiros na região”.

Agora, conforme divulgado em comunicado da cidade de Maebashi, algumas das moedas devem ficar expostas no saguão da divisão de proteção cultural local.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.