Na imaginação popular, o Vale da Morte, no sul da Califórnia, é o lugar mais quente da Terra. Às 3:41 pm hora local de domingo, ele fez jus a essa reputação quando a temperatura no chamado Furnace Creek atingiu 54 graus Celsius, seria a temperatura mais alta já registrada no planeta.

O Vale da Morte está localizada a 85 metros abaixo do nível do mar no deserto de Mojave, no sudeste da Califórnia, perto da fronteira com Nevada, é o local mais baixo, seco e quente dos Estados Unidos. É pouco povoado, com apenas 576 residentes, de acordo com o censo mais recente.

Brandi Stewart, porta-voz do Parque Nacional do Vale da Morte, disse que o vale é muito quente por causa da configuração de sua bacia abaixo do nível do mar e das montanhas ao redor. O ar superaquecido fica preso em um bolso e apenas circula. “É como entrar em um forno todos os dias no período de julho e agosto”, disse ela.

Então, como é a sensação de 54 graus, que ela caminhou no domingo? “Não parece tão diferente de 125 graus”, disse ela. “A sensação de calor no meu rosto quase pode tirar seu fôlego.”

O calor aumenta durante a tarde, geralmente atingindo o pico das 16h às 17h30.

O Vale da Morte reivindica o título de local mais quente da terra, porém há suas controvérsias: pode haver lugares mais quentes do que o Vale da Morte, como partes do Saara, mas eles são muito remotos para um monitoramento confiável, disse Daniel Swain, cientista climático da Universidade da Califórnia, Los Angeles e do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica.

Medir temperaturas de forma confiável é complicado. Os termômetros devem ser protegidos do sol e elevados acima do solo, de acordo com as normas estabelecidas pela Organização Meteorológica Mundial. O instrumento do Vale da Morte, chamado termistor, era blindado e envia leituras para um satélite a cada hora.

As temperaturas recorde são validadas pelo Comitê de Extremos do Clima, uma colaboração de especialistas em clima da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional e outras organizações, de acordo com Daniel Berc, meteorologista da NOAA.

À medida que os gases de efeito estufa que os humanos geram continuam aquecendo o planeta, mais registros são esperados, e não apenas no Vale da Morte.

“Não acho nada disso surpreendente”, disse Jeremy Pal, professor de engenharia ambiental da Loyola Marymount University em Los Angeles. “À medida que o clima continua a aquecer, esperamos mais desses eventos e mais dessas temperaturas recordes.”

A Califórnia está experimentando uma onda de calor recorde, com umidade incomum, que incluiu um raro conjunto de tempestades violentas que, por sua vez, provocaram incêndios florestais.

Portal Mundo-Nipo
Sucursal Japão Tóquio
Jonathan Miyata

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here