176 visualizações 3 min 0 Comentário

Wakamusha, Uma Reflexão Sobre a Juventude e Identidade em uma Sociedade Envelhecida

- 16 de maio de 2024

Contrastes e Conflitos: A Dinâmica de Amizade em “Wakamusha”. Conheça os personagens que navegam pela complexidade das relações modernas.

No Japão, um país onde a média de idade se aproxima dos 50 anos, o conceito de juventude adquire um significado peculiar, uma realidade explorada com profundidade no filme “Wakamusha” de Ryutaro Ninomiya. Traduzido como “jovem guerreiro”, o filme apresenta personagens na casa dos vinte anos que, embora jovens em idade, parecem apenas começar a navegar pelas complexidades da vida adulta. Eiji, Wataru e Mitsunori, um trio de amigos unidos mais por conveniência do que por afeto genuíno, encontram-se presos em empregos mal remunerados e comportamentos delinquentes, numa busca constante por algo que rompa a monotonia de suas vidas.

Eiji, interpretado com uma intensidade teatral por Rion Takahashi, é a força motriz do grupo, buscando confrontos e desafios como forma de sentir algo genuíno. Seja desafiando um homem mais velho por fumar em público ou provocando estranhos com acusações de homofobia, Eiji encena um espetáculo de rebeldia que é tanto uma performance quanto um grito por atenção. Takahashi entrega uma atuação que oscila entre o irritante e o fascinante, revelando camadas de um personagem complexo em sua busca por autenticidade.

Os companheiros de Eiji, Wataru e Mitsunori, oferecem contrastes sutis a essa busca frenética por significado. Wataru, o protagonista nominal, é consumido por um ressentimento silencioso, enquanto Mitsunori, apesar de seu trabalho cuidadoso em uma casa de repouso, carrega um olhar vazio que sugere uma desconexão profunda com o mundo ao seu redor.

“Wakamusha” se destaca na filmografia de Ninomiya por sua abordagem desafiadora, tanto em conteúdo quanto em estilo. O filme se recusa a oferecer conforto visual ou narrativo, optando por longas tomadas e uma ausência de música, criando uma experiência que é tão provocativa quanto desconfortável. Ninomiya revisita temas e diálogos, criando um efeito irônico que reflete a repetitiva busca dos personagens por significado em suas vidas.

Este filme serve como um complemento temático a “Minori, on the Brink”, anterior trabalho de Ninomiya, explorando a irritação com as expectativas sociais. No entanto, “Wakamusha” foca na jornada de seus personagens masculinos para entender as identidades adultas que devem assumir, destacando as pressões de gênero que podem levar ao desespero.

A pergunta “O que devo fazer até morrer?” ecoa como um tema central do filme, encapsulando a busca existencial dos personagens por propósito e identidade. Ninomiya, aos 37 anos, pode ainda ser considerado um jovem cineasta, mas “Wakamusha” é a obra de um artista maduro, que navega habilmente pelas complexidades da juventude, identidade e expectativa em uma sociedade que envelhece rapidamente.

Logotipo Mundo-Nipo
Autor

**Portal Mundo-Nipo**
Sucursal Japão – Tóquio
contato@mundo-nipo.com.br

Comentários estão fechados.