110 visualizações 6 min 0 Comentário

58 cidadãos japoneses e familiares evacuados do Sudão

- 25 de abril de 2023

Crédito: Japan Times – 25/04/2023 – Terça

Um total de 58 cidadãos japoneses e familiares foram evacuados com segurança do Sudão, com 45 deles voando em uma aeronave das Forças de Autodefesa para o vizinho Djibouti, enquanto os países lutavam para tirar seus cidadãos da capital do Sudão, Cartum.

Do total, 45 pessoas seguiram para a cidade oriental de Port Sudan e embarcaram em um avião de transporte SDF C-2 antes de seguirem para Djibuti na noite de segunda-feira.

Os 13 restantes fugiram com a ajuda do governo francês e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha em duas operações de evacuação separadas.

Do total, sete são familiares de japoneses cidadãos de outros países, nomeadamente Estados Unidos, Canadá e Sudão.

Funcionários sudaneses locais na embaixada japonesa e organizações que trabalham para o Japão não estavam entre os que foram evacuados, e o Ministério das Relações Exteriores se recusou a comentar se havia discussões sobre como ajudá-los a sair do país. Quando o SDF foi despachado para Cabul em 2021, o Japão pretendia evacuar os funcionários locais, mas esse plano não se concretizou, aparentemente porque eles não compareceram ao ponto de encontro. Mais tarde, eles foram evacuados para o Japão usando voos comerciais.

“Terminamos de evacuar todos os cidadãos japoneses na capital Cartum que queriam evacuar”, disse o primeiro-ministro Fumio Kishida a repórteres na manhã de terça-feira. “Continuaremos em contato com os países relevantes para oferecer apoio à segurança dos cidadãos japoneses lá.”

O governo também está em contato com outro cidadão japonês na parte relativamente mais segura do sul do Sudão para oferecer apoio de evacuação. Alguns outros que não pretendem evacuar ainda estão no país.

A Embaixada do Japão no Sudão fechou na segunda-feira e montou um escritório temporário em Djibuti.

O secretário-chefe do gabinete, Hirokazu Matsuno, disse na terça-feira que não recebeu relatos de que os japoneses evacuados estão passando por grandes problemas de saúde, embora pareçam exaustos.

Houve casos no passado em que cidadãos japoneses foram evacuados com uma aeronave SDF, sendo o caso mais recente a evacuação de um japonês e 14 afegãos após o retorno do Talibã ao poder em agosto de 2021.

A missão de evacuação afegã foi fortemente criticada por ocorrer tarde demais – partiu em 27 de agosto, 12 dias após a mudança de regime. A missão no Sudão, por sua vez, foi muito mais rápida e tranquila, com a aeronave SDF despachada para Djibuti poucos dias depois que a segurança em Cartum se deteriorou.

Toshimitsu Motegi, secretário-geral do Partido Liberal Democrata, disse em uma reunião do partido na manhã de terça-feira que estava feliz por eles terem conseguido evacuar com segurança.

“Estive envolvido na evacuação de cidadãos japoneses de Wuhan, na China, e da capital afegã de Cabul durante meus anos como ministro das Relações Exteriores, mas há várias dificuldades decorrentes da evacuação de áreas fechadas e locais de conflito”, disse Motegi.

Em janeiro e fevereiro de 2020, cerca de 800 cidadãos japoneses e suas famílias foram transportados em um avião comercial fretado em fases de Wuhan, que foi colocado sob bloqueio após a disseminação do COVID-19.

“Apesar das circunstâncias significativamente difíceis, eles tiveram sucesso na operação e eu os respeito por isso”, disse Matsuno sobre a missão no Sudão.

As Forças Armadas do Sudão e as Forças de Apoio Rápido concordaram com um cessar-fogo de 72 horas a partir de terça-feira “após intensas negociações”, disse o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, em um post no Twitter na segunda-feira.

Os combates eclodiram entre os dois lados em 15 de abril e já mataram pelo menos 427 pessoas. Os dois lados falharam em manter várias tréguas temporárias anteriores.

“Congratulamo-nos com o compromisso de trabalhar com parceiros e partes interessadas para a cessação permanente das hostilidades e acordos humanitários”, disse Blinken no post.

Foto: Japan times (Shunsuke Takei (à direita), ministro de Estado das Relações Exteriores, fala a cidadãos japoneses que evacuaram do Sudão, em uma base em Djibouti na segunda-feira. | MINISTÉRIO EXTERIOR / VIA KYODO)

Comentários estão fechados.