137 visualizações 4 min 0 Comentário

A Luta por Dignidade: Direitos na Indústria Adulta Japonesa

- 5 de fevereiro de 2024

Reinvenção Pós-Divórcio: A Jornada de Empoderamento de Emi Tōda. Conheça a emocionante trajetória de Tōda da dificuldade financeira a uma nova carreira aos 65 anos

A história de Emi Tōda, uma mulher que aos 65 anos se destacou no mercado da “pornografia prateada” no Japão, ilumina o fascinante fenômeno cultural e demográfico em um país conhecido por sua população superenvelhecida. Após um divórcio e anos enfrentando dificuldades financeiras com empregos de meio período, Tōda viu na indústria dos filmes adultos uma oportunidade inesperada de mudança e empoderamento financeiro, uma decisão que contou com o apoio incondicional de suas filhas.

O nicho de filmes adultos focados no público sênior ganha relevância no Japão, refletindo não apenas as particularidades demográficas do país, mas também uma quebra de tabus relacionados ao sexo na terceira idade. Tōda, ao lado de outros atores como Shigeo Tokuda, que aos 83 anos foi reconhecido como o ator pornô mais velho do mundo, e Yuko Ogasawara, que estreou na indústria aos 80 anos, exemplifica uma nova onda de conteúdo que desafia estereótipos e preconceitos sobre o desejo e a sexualidade na velhice.

No entanto, a indústria não está isenta de problemas. Uma pesquisa conduzida em 2020 revelou que um número alarmante de mulheres japonesas, principalmente jovens, relatou ter sido coagido a participar de filmes pornográficos. Muitas foram inicialmente abordadas com ofertas de trabalhos como modelos ou ídolos, para depois se verem pressionadas a realizar atos sexuais diante das câmeras sem o seu consentimento. Em resposta a essas práticas, o Japão adotou leis que permitem às mulheres cancelar seus contratos com produtores de conteúdo adulto e exigir a remoção de material não consentido, numa tentativa de proteger as vítimas e combater a exploração.

A popularidade do gênero da “pornografia prateada” reflete uma demanda crescente e uma base de fãs em expansão, impulsionada pela proporção significativa de idosos na população japonesa. Este interesse não apenas gera um mercado lucrativo, avaliado em cerca de 55 bilhões de ienes, mas também oferece uma visão alternativa da sexualidade na terceira idade, contrariando a crença comum de que o interesse por sexo diminui com a idade.

Tōda e seus colegas de indústria não apenas encontraram uma maneira de desafiar e redefinir a percepção social do envelhecimento e do sexo, mas também abriram um diálogo sobre a liberdade sexual, o consentimento e a dignidade em todas as fases da vida. Ao fazerem isso, eles não apenas contribuíram para um nicho de entretenimento adulto, mas também para uma conversa mais ampla sobre os direitos, desejos e a visibilidade das pessoas idosas na sociedade.

Comentários estão fechados.