A Agência Nacional de Polícia informou que o número de pessoas com demência que foram dadas como desaparecidas alcançou o recorde de 16.927 e analisa-se que este número adquire proporções maiores cada ano que passa.




 

De acordo com os dados da polícia, foi identificado que quase 17 mil pessoas que sumiram em 2018, 197 não puderam ser encontradas até o final do ano, enquanto 16.227, incluindo os desaparecidos em 2017 ou antes, conseguiram ser localizados.

Os dados mostraram que em 2018, 73,4% das pessoas desaparecidas com demência foram encontradas no dia em que seu desaparecimento foi relatado, enquanto 99,4% foram localizados dentro de uma semana e duas pessoas foram encontradas mais de dois anos após terem desaparecido.

Um total de 508 pacientes com demência foram encontrados mortos devido a acidentes ou por outros motivos.

Para contornar a situação crítica do país, a editora de mapas Shobunsha Publications Inc., desenvolveu um aplicativo que permite que as pessoas que encontrem pacientes com demência, possam notificar os membros da família, através de um adesivo com código QR anexado a seus pertences.

O app ajuda a família dos pacientes a se conectarem com uma instituição médica apropriada e buscarem orientação de um centro de atendimento de apoio geral da comunidade em sua área local e com isso visa declínio da taxa de desaparecimentos de pacientes com demência.

Fonte: KYODO

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.