O número de estudantes do ensino fundamental e médio que buscam consultas sobre gravidez está aumentando em meio ao fechamento prolongado das escolas, com o objetivo de impedir a propagação do novo coronavírus.

“Com as atividades extracurriculares e escolares em espera, cresceu a oportunidade relacionamento sexual de jovens resultando em gestações indesejadas”, disse um funcionário de um serviço de consulta do setor privado contatado por estudantes de todo o país.

O Hospital Jikei, na cidade de Kumamoto, conhecido por sua escotilha Konotori no Yurikago (Berço de Cegonha), onde os pais podem deixar seus bebês anonimamente se tiverem dificuldades para criá-los por conta própria, viu um aumento nos pedidos de consulta de mulheres jovens e alunos do ensino médio desde março, quando começaram os fechamentos de escolas em todo o país.

Uma estudante disse ao hospital que ela teve um teste de gravidez positivo depois de fazer sexo em sua casa durante o fechamento da escola, quando seus pais estavam fora.

Mesmo nos tempos habituais, os pedidos de consultas sobre gravidez de estudantes do ensino fundamental e médio tendem a aumentar após longos intervalos, como o recreio do verão, de acordo com o Hospital Jikei e outros.

Em abril deste ano, o hospital recebeu 75 pedidos destas consultas dos estudantes do ensino fundamental e médio, ante 17 em relação ao ano anterior. Eles representaram 13% do total de solicitações de consultas sobre gravidez naquele mês, atingindo o nível mais alto desde que o hospital abriu seu ponto de contato dedicado.

Chiisana Inochi no Doa (uma pequena porta para a vida), um centro de consulta que dá conselhos sobre gravidez em uma maternidade em Kobe, foi inundado com solicitações de consultas dos estudantes.

Uma estudante do ensino médio no oeste do Japão disse ao escritório que se envolveu no chamado namoro com “enjo kōsai”, relacionamento com financiamento, porque a crise do COVID-19 a impediu de fazer um trabalho de meio período.

Ela descobriu que estava grávida através de um teste de gravidez após entrar em contato com o escritório.

O centro normalmente recebe de 20 a 30 solicitações de consulta por mês. O número dobrou em março e chegou a 89 em abril. A parcela de adolescentes, que normalmente é de cerca de 20%, chegou a 70%.

“Não existe uma maneira 100% certa de evitar a gravidez. Sexo não deve ser confundido com amor ”, disse Yoriko Nishio, que trabalha para Chiisana Inochi no Doa.

“O sexo está relacionado à questão da vida”, disse Makoto Hasuda, chefe da seção do Hospital Jikei, fornecendo consultas sobre recém-nascidos. “É necessário melhorar a educação” sobre sexo, acrescentou Hasuda.

“As preocupações não devem ser mantidas em segredo. Sinta-se à vontade para entrar em contato conosco mais cedo ”, disse Hasuda.

Portal Mundo-Nipo
Sucursal Japão Osaka
Harumi Matsunaga

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here