108 visualizações 2 min 0 Comentário

COVID-19 não é mais emergência de saúde global, diz OMS

- 5 de maio de 2023

Crédito: Japan Times – 05/05/2023 – Sexta

O COVID-19 não representa mais uma emergência de saúde global, disse a Organização Mundial da Saúde na sexta-feira, um grande passo para o fim da pandemia que matou mais de 6,9 ​​milhões de pessoas, interrompeu a economia global e devastou comunidades.

“Ontem, o Comitê de Emergência se reuniu pela 15ª vez e me recomendou que eu declarasse o fim da emergência de saúde pública de interesse internacional. Aceitei esse conselho. É, portanto, com grande esperança que declaro o COVID-19 como uma emergência de saúde global”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

O comitê da OMS declarou pela primeira vez que o COVID-19 representou seu nível de alerta mais alto há mais de três anos, em 30 de janeiro de 2020. O status ajuda a concentrar a atenção internacional em uma ameaça à saúde, além de reforçar a colaboração em vacinas e tratamentos.

Levantar é um sinal do progresso que o mundo fez nessas áreas, mas o COVID-19 veio para ficar, disse a OMS, mesmo que não represente mais uma emergência.

A taxa de mortalidade diminuiu de um pico de mais de 100.000 pessoas por semana em janeiro de 2021 para pouco mais de 3.500 na semana até 24 de abril, segundo dados da OMS.

“No entanto, isso não significa que o COVID-19 acabou como uma ameaça global à saúde”, disse Ghebreyesus.

A OMS não declara o início ou o fim das pandemias, embora tenha começado a usar o termo para COVID em março de 2020.

No ano passado, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse que a pandemia havia acabado. Como vários outros países, a maior economia do mundo começou a desmantelar seu estado de emergência doméstico para o COVID, o que significa que deixará de pagar por coisas como vacinas.

Foto: Japan Times (Enfermeiras examinam paciente infectado com COVID-19 no Hospital Guillermo Grant Benavente em Concepcion, Chile, em abril de 2021. | AFP-JIJI)

Comentários estão fechados.