78 visualizações 6 min 0 Comentário

Governo autoriza não profissionais a transportar pessoas

- 21 de dezembro de 2023

Em meio à escassez de motoristas de táxi, o Japão deverá suspender parcialmente a proibição dos serviços de carona a partir de abril próximo.

De acordo com o plano governamental anunciado na quarta-feira, motoristas não profissionais poderão operar em áreas específicas em determinados horários, sob a orientação de empresas de táxi, quando houver uma notável falta de viagens disponíveis.

O plano foi discutido na reunião do Conselho de Reforma Administrativa e Fiscal Digital na quarta-feira e foi proposto como forma de combater a escassez nacional de taxistas em meio à crescente demanda por serviços de transporte.

“Com base nos graves desafios no transporte regional que enfrentamos em todo o país, decidimos iniciar os serviços de transporte privado utilizando veículos e motoristas pessoais a partir de abril do próximo ano”, disse o primeiro-ministro Fumio Kishida na reunião de quarta-feira.

O governo planeja recolher dados de aplicações de chamada de táxis atualmente em funcionamento para determinar quais as áreas e horários que registam a escassez mais grave de viagens e depois decidir quando e onde os não-profissionais podem atuar como motoristas de táxi. O levantamento parcial da proibição deverá ser implementado não apenas nas zonas rurais, mas também nos centros das cidades.

A fim de garantir a segurança dos passageiros e regular os pagamentos, o plano propõe que as empresas de táxi existentes gerenciem os serviços de carona por enquanto. Também está sendo considerado permitir que outras empresas ingressem no serviço como intermediários posteriormente.

O governo deverá iniciar discussões sobre o levantamento total da proibição do transporte privado a partir do próximo ano, com o objetivo de chegar a uma decisão até junho.

Atualmente, aplicativos de carona como Go e Uber só permitem que usuários no Japão chamem táxis, ao contrário de países como os EUA, onde qualquer pessoa com carteira de motorista, após passar por um processo de triagem, pode usar seu veículo pessoal para levar passageiros até seu destino selecionado mediante o pagamento de uma taxa.

De acordo com a Federação Japonesa da Associação de Aluguer de Táxis, a pandemia da COVID-19 e o envelhecimento da população do país levaram a um declínio significativo no número de motoristas de táxi – até 20% durante os quatro anos entre 2019 e 2023.

O levantamento da proibição tem sido discutido ao longo do último ano, à medida que a procura por serviços de transporte tem crescido, em parte devido ao ressurgimento do turismo receptivo.

“Conduzimos discussões com o entendimento de que a escassez de caronas não é um problema apenas nas áreas rurais com falta de transporte regional, mas também em pontos turísticos e cidades”, disse o ministro dos Transportes, Tetsuo Saito. “Gostaríamos de criar um sistema que fosse fácil de usar também para os turistas que chegam.”

No entanto, a oposição da indústria dos táxis continua forte. Afirmam que a introdução de serviços de transporte privado resultará numa concorrência desleal devido aos seus preços baixos e tirará empregos aos motoristas profissionais, sem resolver a questão central da falta de motoristas suficientes.

Em comunicado divulgado na semana passada, o Sindicato da Federação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Automóvel disse que a implementação de serviços de carona agravará a escassez de motoristas.

“A segurança dos passageiros e os benefícios serão reduzidos, (com) as empresas de autocarros e táxis a sofrerem um declínio adicional nas receitas e os motoristas de táxi a receberem salários mais baixos, resultando numa escassez de motoristas mais grave”, afirmaram.

O plano do governo visa resolver, pelo menos parcialmente, a questão, facilitando as regulamentações da indústria dos táxis, para atrair mais pessoas a tornarem-se motoristas. Propõe a eliminação da prova de geografia, dada a prevalência da tecnologia de navegação, bem como a redução de partes do seu período de formação.

Portal Mundo-Nipo

Sucursal Japão – Tóquio

Jonathan Miyata

Comentários estão fechados.